Na última quarta-feira (6), em Manaus, um médico cirurgião  fez um apelo através de um vídeo que circulou em todas as redes sociais solicitando material de sutura no pronto-socorro Platão Araújo, informando que teve que improvisar devido à falta do mesmo. Ainda na tarde de ontem,  Susam enviou uma nota de esclarecimento informando que o material não faz parte do padrão da unidade. E mesmo sem ter tido as respostas técnicas que indicassem a necessidade desse tipo de material em cirurgias vasculares, a direção do hospital informa que, em janeiro, solicitou à Central de Medicamentos do Amazonas (Cema) a compra do fio Polipropileno numero 6-0.

Nota de esclarecimento na íntegra:

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informa que os problemas estruturais do setor, que têm sido relatados por diversos meios, são também a maior preocupação do atual governo, que assumiu há pouco mais de um mês. A situação crítica e crônica encontrada  foi informada à população pelo vice-governador e secretário estadual de Saúde, defensor Carlos Almeida, na primeira semana de governo.  A nova gestão vem trabalhando para organizar o setor, tendo como prioridade o abastecimento das unidades e o pagamento dos serviços terceirizados que empregam mão-de-obra.

A secretaria reconhece o esforço de todos os abnegados profissionais de saúde, que têm ajudado a manter os serviços funcionando, assim como os gestores, corpo técnico e corpo administrativo.  A Susam entende que todos são parte da solução, porque todos querem melhorar a saúde pública do Amazonas. 

Cabe também esclarecer, em relação à falta de um material de sutura relatada por um profissional na mesa de cirurgia do Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo:

1. O tipo de fio Polipropileno número 6-0, usado especificamente em procedimento cirúrgicos vasculares, nunca fez parte do padrão da unidade. 

2. Conforme informou a direção da unidade, só recentemente iniciou-se a alteração do padrão, processo que conta com a participação da equipe médica que indica quais os materiais são necessários para realizar os procedimentos.

3. Foi entregue às equipes médicas de todas as especialidades cirúrgicas o formulário para que indicassem o tipo de material padrão necessário. Mesmo sem ter tido as respostas técnicas que indicassem a necessidade desse tipo de material em cirurgias vasculares, a direção do hospital informa que, em janeiro, solicitou à Central de Medicamentos do Amazonas (Cema) a compra do fio Polipropileno numero 6-0.

4. A Cema informou que já está providenciando o processo de compra do material, e que isto só ainda não ocorreu porque não há ATA registrada para a licitação e que, portanto, está realizando a compra com dispensa de licitação.