O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou liminarmente o pedido de Habeas Corpus feito pelos advogados de  Vitorio Del Gatto, um dos presos acusados de envolvimento na morte do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, ocorrida entre os dias 29 e 30 de setembro, em Manaus. A decisão liminar é do ministro Leopoldo de Arruda Raposo, que substitui Felix Fischer, afastado por problemas de saúde. 

O pedido foi realizado na quarta-feira (23) e a deliberação foi  feita nesta quinta (24), um dia depois da Justiça do Amazonas ter negado o pedido de Habeas Corpus em favor de Alejandro Valeiko, também preso por suspeita do envolvimento na morte do engenheiro.

A decisão não favorável a Vitorio foi deferida pelo ministro Leopoldo de Arruda Raposo. Sobre a decisão, a reportagem entrou em contato com um dos advogados do cozinheiro, para saber se alguma outra medida será tomada em relação a isso, mas não teve retorno até a publicação deste material.

Além de Vitorio e Alejandro, estão presos José Edvandro Martins de Souza Junior, o sargento Elizeu Paz, o lutador de MMA Mayc Parede e Elielton Magno de Menezes Júnior. Na noite do crime, dia 29 de setembro, todos eles estavam no Condomínio Residencial Passaredo, de onde a vítima teria sido sequestrada e, posteriormente, teve o corpo levado para um terreno no bairro Tarumã, Zona Oeste.

Flávio foi encontrado morto na tarde do dia seguinte, após ter participado de uma festa junto ao grupo na casa de Alejandro Valeiko, filho da primeira-dama, Elisabeth Valeiko, ouvida nesta semana no inquérito policial que investiga o caso.

Fonte: A Crítica