O rio Negro pode ter, neste ano, a maior cheia já registrada na história do Estado do Amazonas. Os números divulgados na quinta-feira (18) pelo site Porto de Manaus (www.portodemanaus.com.br) mostram que o rio Negro atingiu a marca de 25,40 metros.

O volume é maior que os 25,38 metros registrados em 2012, quando aconteceu a maior cheia do rio Negro em todos os tempos. Naquele ano, o rio atingiu o recorde de 29,97 metros, ocorrido dia 29 de maio.

Se compararmos 2021 a 2012, veremos que neste ano o rio está dois centímetros mais cheio que o registrado no ano recorde.

Em comparação ao ano passado, a diferença é ainda maior. Em 18 de fevereiro de 2020, o rio Negro atingiu 24,60 metros, ou seja, 80 centímetros menos que em 2021.

A diferença com 2018 também é grande. A cotação neste ano está 1,66 metro mais cheia que em 18 de fevereiro de 2018.

Se a subida continuar no mesmo ritmo que o registrado desde o início de janeiro, teremos uma cheia recorde que afetará vários bairros da orla de Manaus, como Educandos, Compensa, Glória e o Centro da cidade.

Em 2012, por causa da cheia recorde, o terminal de ônibus localizado ao lado da igreja da Matriz, no Centro de Manaus, teve as ruas alagadas.

Ônibus tiveram as rotas alteradas para evitar o terminal alagado.

Na feira Manaus Moderna, também na orla da cidade, comerciantes tiveram que elevar o piso da feira para evitar que mercadorias ficassem embaixo d’água.

Mesmo com todos os cuidados, a prefeitura de Manaus teve que interditar parte da feira por causa da inundação e o risco à saúde dos feirantes e consumidores.