Uma mulher de 18 anos foi encontrada morta em um flat da Avenida Barão Homem de Melo, quase no encontro com a Avenida Raja Gabaglia, no Bairro Estoril, Região Oeste de Belo Horizonte, na noite dessa terça-feira. 

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso, já que o corpo dela apresenta marcas de enforcamento. A jovem, que é garota de programa, foi encontrada com um fio enrolado no pescoço.

Entre as pistas que a Polícia Civil já tem em mãos, uma delas é a presença de um homem de 21 anos que esteve na segunda-feira de noite no apartamento de Agne Soares Figueiredo Dias para fazer um programa.

De acordo com informações do porteiro do flat repassadas à Polícia Militar, a vítima chegou em casa por volta das 19h de segunda. Posteriormente um rapaz chegou e disse que iria no apartamento de Agne para um programa. Ele saiu por volta das 22h. Um segundo homem chegou depois e saiu do local por volta das 23h40. Ele foi a última pessoa a entrar no local.

Na noite de ontem, por volta das 20h30, uma amiga da jovem que possui a chave do apartamento esteve no local e encontrou a porta aberta. Ela encontrou a vítima sentada no vaso sanitário do banheiro, nua e com um fio da televisão do apartamento enrolado no pescoço.

De acordo com as informações do boletim de ocorrência, essa testemunha informou que a jovem era garota de programa. Ao se deparar com a situação, a mulher acionou o síndico, que chamou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e a Polícia Militar.

Um médico do Samu constatou o óbito e apontou que a morte teria acontecido há mais tempo, conforme a rigidez do corpo. Peritos da Polícia Civil estiveram no local e informaram que a vítima tinha marcas de enforcamento, que o cabo encontrado no pescoço dela era de áudio e vídeo da televisão do apartamento e que ela também tinha escoriações nos ombros e lesões leves nos punhos. O aparelho de celular da vítima não foi encontrado, apenas um chip que foi recolhido pela perícia.  

A Polícia Civil informou que o corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) e até agora ninguém foi preso. A instituição orienta quem tiver qualquer informação sobre o caso a entrar em contato com o Disque-Denúncia, pelo telefone 181.