Familiares dos pacientes disseram que o Exército venezuelano disparou contra indígenas que pediam para que a fronteira fosse aberta para receber a ajuda humanitária.

Confronto entre indígenas e militares deixa morto na Venezuela; feridos são transportados para Roraima

O clima  esquenta cada vez mais nas fronteira da venezuela. Na tarde de hoje (22) uma pessoa morreu e doze ficaram feridas em Kumarakapay, em um confronto entre indígenas e militares venezuelanos. A informação foi confirmada por  líderes indígenas a agência de notícias Reuters.

O local fica a 70 km de Santa Elena de Uairén, na fronteira com o Brasil, que está fechada mas, apesar do bloqueio os guardas liberaram a passagem para o lado brasileiro de duas ambulâncias venezuelanas com pessoas feridas no incidente, e levados ao Hospital Geral de Roraima, em Boa Vista, a 215 km da fronteira.

Familiares dos pacientes disseram que o Exército venezuelano disparou contra indígenas que pediam para que a fronteira fosse aberta para receber a ajuda humanitária.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde de Roraima (Sesau) cinco pacientes chegaram feridos por armas de fogo, acompanhados de uma médica venezuelana. 

Pelo Twitter, Juan Guaidó, opositor que se autoproclamou presidente interino da Venezuela, afirmou que o confronto em Kumarakapay deixou um morto e doze feridos.

Links relacionados 

Barbaridade: Maduro fecha fronteira da Venezuela com Brasil para evitar que ajuda humanitária entre no país