A trufa branca é uma das iguarias mais caras da gastronomia italiana.

Se você acha que pagar 360 mil reais em um cogumelo, é um absurdo, saiba que a gente disposta a desembolsar a quantia por um tipo raro. Na Itália, o valor de uma trufa branca já surpreendeu em um leilão.

Uma trufa branca de 850g foi leiloada por R$ 360 mil em Alba. A iguaria foi arrebatada por um comprador de Hong Kong não identificado.

A cidade italiana realiza o festival da trufa branca há 88 anos.

Entenda mais sobre essa raridade 

É no mês de novembro que acontece a caça às trufas brancas, que estrelam os cardápios dos mais sofisticados restaurantes italianos do mundo todo. E quando falamos em caça, é no sentido literal da palavra. Os trufeiros, caçadores de trufas, entram na mata com cães farejadores, para descobrir onde essa iguaria se encontra. E isso não é tarefa fácil.

Estima-se que existam atualmente na Itália mais de 20 mil trufeiros. Isso porque cada pessoa consegue achar apenas uma quantidade muito pequena, geralmente menos de 100 gramas. É preciso um verdadeiro exército para conseguir quantidade suficiente para vender para restaurantes e distribuidores no mundo inteiro.

Assim que a trufa é desenterrada, uma parte dela é colocada de novo no solo para que possa se reproduzir novamente. E a corrida começa depois disso, já que o alimento imediatamente começa a perder água por evaporação. Tudo precisa ser feito com grande agilidade – elas precisam chegar aos restaurantes em até 36 horas após saírem da terra para preservarem suas características.

Mas o que é essa iguaria?

A trufa é um fungo que nasce sob a terra e pode ser encontrada em três tipos: a branca, a negra e a trufa de verão. Elas são encontradas a uma profundidade de 20 a 40 centímetros, próximas à raiz de carvalhos e castanheiras. Possuem aspecto de mármore negro e bege. O trufeiro, especialista em trufas, é quem remexe a terra e retira a trufa do solo sem quebrá-la nem ferir sua superfície. Ela só terá valor se as suas características originais forem preservadas.

As trufas brancas – ou tartufo bianco, como são conhecidas – são muito apreciadas por chefs de cozinha por seu inigualável aroma. Elas exigem um cortador específico, com lâminas ultrafinas, pois quanto mais fina for cortada, o sabor é mais intenso. A espessura ideal é a de uma folha de papel. As que exibem uma sutil coloração rosada são consideradas melhores, de aroma mais marcante.

Combina com massas, risotos e ovo frito. O prato predileto dos apreciadores é o ovo “all’occhio di bue”, pois reúne a simplicidade do ovo e a exuberância da trufa branca fresca. Pode ser comida também como um pão.

Por que é tão valorizada?

As trufas são um produto natural, selvagem. Não é algo que se possa controlar ou cultivar, apesar de já ser consumida pelo ser humano há mais de três mil anos.

A mais nobre, famosa e inigualável, por seu aroma e sabor extremamente marcantes, é a Trufa Branca Suprema, de Alba, no Piemonte, Itália. As melhores safras ocorrem em outonos chuvosos, pois as trufas, como todo fungo, precisam de muita umidade para crescer.

As trufas de Alba podem custar até 15 mil dólares o quilo. Chegando a ultrapassar em leilões 100 mil euros.