Parte da imprensa internacional repercute o caso de uma mulher de 69 anos que começou a ser julgada por ter assassinado o marido, de 65, durante um ataque de fúria por pegá-lo assistindo a filmes pornográficos. O homem disse que não iria parar e acabou tornando-se alvo da então companheira. O crime ocorreu em julho do ano passado na cidade de Pine Bluff, em Arkansas, nos Estados Unidos.

De acordo com o The Sun, Patricia Hill desconfiou que o marido tivesse voltado a ver filmes pornográficos depois de ver a conta da TV a cabo de casa. Ela o confrontou por mais de uma vez e, durante uma discussão, o homem teria derrubado uma mesa e corrido para buscar uma arma. A mulher, no entanto, foi mais rápida e atirou contra ele por duas vezes. Na sequência, chamou a polícia e uma ambulância para que o marido fosse socorrido.

O homem chegou a receber atendimento médico, mas não resistiu aos ferimentos e morreu em um hospital da região. O advogado da mulher contou que os dois estavam distantes e que ela considerou o fato de o então companheiro voltar a ver filmes pornográficos como uma “afronta” ao casamento deles e a Deus.

O julgamento de Patricia teve início nessa segunda-feira (22). Ela declarou-se inocente da acusação de assassinato e disse que agiu sob forte emoção, além de ter “perdido a cabeça”. A defesa deve apresentar, na continuidade do processo, exames que mostram que ela estava debilitada quando agiu contra o marido.