Um homem de 60 anos morreu ontem (segunda-feira) ao se automedicar com cloroquina para o tratamento do coronavírus. A esposa dele, que também está doente e usou cloroquina sem autorização médica, está internada e segue em observação.

O caso aconteceu no Estado do Arizona, Estados Unidos, e serve de alerta para milhares de pessoas no Brasil que correram para as drogarias em busca da cloroquina.

No Amazonas, desde a semana passada quando a OMS declarou que a cloroquina está sendo pesquisada para o tratamento da Covid-19, o medicamento sumiu das prateleiras.

Numa pesquisa realizada pela nossa reportagem em várias drogarias de Manaus, a cloroquina não foi encontrada.

Mesmo com a determinação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que passou a enquadrar a cloroquina como medicamento de controle especial (só pode ser vendido com apresentação de receita médica), esgotaram as vendas dos remédios.

O ministério da Saúde divulgou nota pedindo à população que evite a automedicação e que o uso indevido da cloroquina pode causar graves riscos à saúde.