Cerca de 1.100 companhias estão aptas a aderir ao projeto, que oferece compensação financeira.

O governo federal publicou a portaria que oficializa o programa para estimular a economia dos grandes consumidores de energia, como as indústrias. Em troca de consumo racional é oferecida uma compensação financeira. A medida vale até 30 de abril de 2022 e tem como objetivo controlar o gasto de energia no horário de pico, quando há maior demanda por eletricidade. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) prevê dificuldades para os meses de outubro e novembro. Os principais motivos são o início da onda de calor, onde se consome mais energia, a recuperação econômica, que leva as empresas a produzirem mais, e a crise hídrica. Com esses fatores, aumenta o risco de sobrecarga no sistema, deixando o país mais vulnerável a quedas pontuais.

No entanto, o governo nega o risco de apagão. Em nota, o Ministério de Minas e Energia disse que o setor industrial deve participar e contribuir para garantir a segurança do fornecimento. O ministro Bento Albuquerque havia prometido incluir o consumidor residencial no programa, mas a portaria mirou apenas os grandes consumidores. As indústrias interessadas em aderir ao programa devem formalizar as proposta de economia de energia, se comprometendo a cortar o consumo e negociando o desconto. Cada proposta pode ter validade de um a seis meses, excepcionalmente, o prazo pode ser menor. As empresas, cerca de 1.100 que estão aptas a aderir ao projeto, terão ainda que cumprir ao menos 80% da meta estabelecida.

Fonte: JP Notícias