Especialistas atendem cada dia mais casos desse abuso psicológico que quase nunca manifesta uma violência física.

“Você está louca!”, “Você está exagerando!”, “Está delirando!”, “Tem certeza? A sua memória é meio ruim!”. Essas frases podem até parecer um tanto quanto inofensivas se você já ouviu alguma vez na sua vida. No entanto, apesar de não pareceram em um primeiro momento, carregam em si o termo gaslighting, que nada mais é do que um relacionamento abusivo que se apresenta de uma forma mais sutil da que a gente está acostumada a ver por aí.

Especialistas atendem cada dia mais casos desse abuso psicológico que quase nunca manifesta uma violência física – tornando-se ainda mais difícil de identificar. Para ficar mais fácil de entender o que seria isso, eis a origem do termo, explicada pela psicóloga Adriana Cancelier.

“O termo vem do filme Gaslight, de 1944, com Ingrid Bergman, no qual ela interpreta uma mulher casada. Seu marido se dá conta que pode ficar com a herança da esposa desde que ela seja considerada louca e enviada para um hospital psiquiátrico”, explica.

Continue lendo no site TodaTeen:

https://todateen.com.br/gaslighting-o-que-e-sinais/