O setor de mineração deve responder por um adicional de 15º do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, projetou o secretário de Estado de Planejamento, Jório Veiga, ao lançar nesta quinta-feira (09/05),  no Centro Cultural Povos da Amazônia, duas importantes ferramentas para estruturar o setor: a câmara setorial de recursos minerais, onde serão definidas políticas públicas de exploração sustentável de mineração, e o sistema interativo online de informação de recursos minerais.

“Esse é o primeiro passo para dinamizar um segmento estratégico para o desenvolvimento do Estado, mas que se ressente de tecnologia que nos permita agregar valor ao produto aqui”, resumiu o secretário. Apesar de todas as restrições, e com todo o seu potencial, a mineração tem que ter protagonismo no processo de expansão econômica local, defendeu Veiga.

Ele frisou que a melhoria de vida das populações, sobretudo, as do interior, uma diretriz do Governo Wilson Lima, vai depender da capacidade de explorar as potencialidades que estão além da Zona Franca de Manaus. “A ZFM vai seguir crescendo, mas temos o dever de avançar em outros setores para garantir o desenvolvimento de todo o Estado”, afirmou.

A secretária executiva de Ciência, Tecnologia e Inovação, Tatiana Schor, disse que o sistema online de informação, que consumiu dois meses de intenso trabalho, vai possibilitar a pesquisa e o compartilhamento de dados importantes para o setor. “Este trabalho está à disposição da sociedade”, destacou.

Representando a Associação dos Municípios do Amazonas, Adenilson Reis, prefeito de Nova Olinda, disse que as prefeituras estão dispostas a colaborar para tornar realidade a exploração de todas as riquezas minerais existentes nas cidades. “Quanto maior a integração entre as prefeituras e secretarias maiores serão os avanços”, estimou.

Participaram do evento, realizado no Centro Cultural Povos da Amazônia, representantes de entidades de pesquisa, da Universidade do Estado do Amazonas, Ufam e empresários.

Produtos – O Mapa Interativo online disponibiliza informações sobre todos o processos minerais do Estado do Amazonas. Também detalha informações  sobre Unidades de Conservação, Terras Indígenas, Mapa Geológico do Estado, ocorrências minerais, campos de petróleo, gasodutos, blocos de exploração de Petróleo e Gás.

Essas informações foram extraídas de fontes governamentais (ANM, CPRM, ANP, MMA, Funai, IBGE) e são de domínio público. As informação foram integradas em um banco de dados único e são atualizadas sempre que novas versões são disponibilizadas por essas agências governamentais.

Quem utilizar o Mapa Interativo poderá pesquisar e visualizar com base no número do processo minerário e também por nome município. Isto será de grande utilidade para pessoas interessadas em obter informações sobre a atividade mineral no Estado e também para as prefeituras do Estado acessarem de forma eficiente a atividade de pesquisa e extração mineral.

Coordenada pela Secretaria de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), a Câmara Setorial funcionará como fórum de discussão entre setor produtivo e poder público atuantes no setor de extração e pesquisa mineral, de exploração de Óleo e Gás.

FOTOS: DIVULGAÇÃO/SEPLANCTI