Na delegacia, ele assumiu que esfaqueou e esganou a menina antes de decapitá-la e jogar a cabeça em frente a casa da mãe dela.

Ex-guarda prisional, identificado pela polícia como Ivanhoé de Oliveira Lima, foi preso em Rio Branco, Acre, acusado de ter decapitado a namorada com quem vivia, Larissa Aurélia Costa Silva, de apenas 17 anos. Ele foi preso quando, após o crime brutal, foi assistir futebol em um campo da cidade com os amigos.

De acordo com o relatório da investigação, depois de decapitar Larissa, Ivanhoé deixou a cabeça da jovem na porta da casa da mãe dela, no mesmo bairro onde viviam. Ele e Larissa moravam juntos há cerca de dois anos.

Segundo o suspeito, o crime ocorreu após uma briga entre o casal, quando ele a esfaqueou e arrancou a cabeça em seguida. Ainda no processo está registrado que, no celular dele, existem imagens dele agredindo a menina. Quando questionado sobre a motivação do crime, ele afirmou que resguardaria o direito de falar apenas em juízo.

Ivanhoé foi expulso da função de guarda prisional em 2013, ao tentar entrar na cadeia onde trabalhava levando uma carga de fermento que os presos usam para manipular uma aguardente conhecida nas prisões como “Maria Louca”.