Queda de 1,12% não impediu valorização de 0,1% da moeda norte-americana nas quatro sessões da semana

O dólar encerrou a sexta-feira (16) em queda de 1,12% ante o real, negociado a R$ 3,7399. Apesar da baixa, a moeda norte-americana acumulou alta de 0,1% ao longo da semana.

A queda da divisa foi guiada pelo otimismo do mercado após a definição de que Roberto Campos Neto vai comandar o BC (Banco Central) durante o governo de Jair Bolsonaro.

Na mínima da sessão, a moeda chegou a R$ 3,7307 e na máxima foi a R$ 3,7837. O dólar futuro caía cerca de 1,2%.

Além do anúncio de Campos Neto, ajudou no bom humor do mercado de câmbio nesta sessão entre feriado e fim de semana o anúncio de que Mansueto Almeida permanecerá no cargo de Secretário do Tesouro Nacional.

“Há bom humor em função da confirmação do Mansueto no Tesouro e a escolha do Roberto Campos Neto para presidência do BC”, afirmou o superintendente da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva.

“Ele [Roberto Campos Neto] é tido como um economista na linha do avô dele, extremamente liberal, identificado com as tesourarias do mercado financeiro e certamente é um nome que dará sequência a toda a política do BC implementada pelo Ilan [Goldfajn], até então preferido pelo mercado”, completou.

Nesta sexta-feira o BC informou que o diretor de Política Econômica, Carlos Viana, acertou que permanecerá no cargo por “tempo considerável”.

O Banco Central vendeu nesta sessão 13.600 contratos de swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares. Desta forma, rolou US$ 6,8 bilhões do total de US$ 12,217 bilhões que vence em dezembro. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.