A alimentação para crianças tem sido um grande desafio para as famílias contemporâneas. Rotina escolar, refeições fora de casa, lancheira e uma série de mudanças na dinâmica familiar acentuam ainda mais as dificuldades na oferta de produtos saudáveis.

Além disso, com tantas opções de comidas industrializadas, doces, salgadinhos e refrigerantes que fazem sucesso entre os pequenos, não há quem não tenha experienciado a recusa dos filhos por alimentos mais nutritivos e completos, porém menos atraentes.

Dicas saudáveis de alimentação para crianças

Quando começar a introduzir alimentos saudáveis?

A nutricionista Andressa Perez, especialista em atendimento infantil e mestranda em Ciências aplicada a pediatria pela Universidade Federal de São Paulo, explica que a alimentação saudável começa até mesmo antes do nascimento da criança, ainda na gestação e se consolida na introdução alimentar complementada aos 6 meses do bebe. “Até o 1° aniversário o recomendado é oferecer o alimento na sua forma natural, sem adição de sal e até os 2 anos, sem o açúcar“.

© Fornecido por Alto Astral

Não proíba! Mostre outras opções

Quanto mais precoce a oferta de alimentos industrializados como biscoitos, sucos artificiais e salgadinhos de pacote mais difícil será o sucesso de uma alimentação saudável. Não adianta proibir o consumo de algo que a criança já conhece, gosta e que faz parte da rotina familiar“, afirma Andressa.

Não faça chantagem

Nunca tente pressionar ou forçar a criança a comer determinado alimento em troca de outra coisa. Isso pode fazer com que ela associe a comida a algo negativo e não queira voltar a ingeri-lo novamente, dificultando ainda mais o processo de mudança de hábitos.

Seja você o exemplo

Manter uma rotina saudável é naturalmente importante para qualquer indivíduo, mas para quem é pai o exemplo é imprescindível para que os filhos tenham uma referência. Afinal, as crianças reproduzem aquilo que veem e são ensinadas a fazer desde cedo.

Leve-os para comprar os alimentos com você

A melhor estratégia é envolver a criança na compra e no preparo dos alimentos. Leve-a na feira ou no mercado e deixe que experimente e escolha o alimento que desejar. Em casa, deixe a criança ajudar no preparo ou leve o alimento para dentro da brincadeira utilizando as panelinhas e objetos de preferência da criança. Inserir o alimento de uma forma lúdica estimula a curiosidade e a experimentação acontece de forma natural“, explica a nutricionista.

Andressa também ressalta que é muito importante que a família esteja disposta a oferecer novas opções de alimentação para crianças de forma paciente e variada.

Que tal chamá-los para a cozinha?

Preparar receitas simples que contenham como ingrediente principal frutas, legumes e verduras também é uma ótima estratégia de aceitação alimentar. Espetinhos, bolos, tortas, patês e até sobremesas como cremes e sorvetinhos de fruta são coloridos e fáceis de fazer. As crianças adoram colocar a mão na massa e dessa forma experimentam o alimento de diversas formas. 

Os alimentos precisam ter fácil acesso

Manter esses alimentos disponíveis em fruteiras de fácil acesso e disponibilizar durante as refeições na mesa da família também são excelentes estratégias para inserir no hábito alimentar das crianças“, lembra a especialista.

Paciência em primeiro lugar

O segredo na introdução de alimentos saudáveis é ser paciente e não desistir na 1° tentativa. Nós, adultos, não gostamos de tudo… Por que precisamos esperar isso das crianças? É importante observar as preferências de texturas e explorar receitas naturais e divertidas. É descascar mais e desembalar menos na vida dos pequenos” explica por fim.