O candidato à presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) deputado Dermilson Chagas (PP) afirmou que não irá abrir mão da receita destinada à Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) como aconteceu em 2014 em que foram remanejados 0,2% do seu orçamento para o Poder Judiciário. Se eleito o parlamentar vai aplicar o recurso para o aprimoramento no desempenho parlamentar, realização de concurso público e melhorias salariais para os servidores.

A declaração é uma cutucada no concorrente de Dermilson na disputa pela presidência da Casa, o deputado reeleito Josué Neto (PSD), que era presidente na época, quando a Assembleia remanejou os 0,2% do seu orçamento para o Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam) com o intuito de melhorar a prestação jurisdicional no interior. Para o candidato, o recurso dos percentuais remanejados que deixaram de entrar no cofre da Assembleia prejudicou os serviços legislativos e atividade de parlamentar.

“Todo o dinheiro constitucional destinado ao Poder Legislativo, será gasto com a atividade legislativa como aquisição de materiais de informativas atualizados, reajuste salarial dos funcionários efetivos e realização de concurso público”, propôs Dermilson.