O brasileiro está mudando, cada vez mais, a forma com que se relaciona com a comida, e a gastronomia ganha cada vez mais espaço. Antes de tudo, devemos entender que desde aqueles que vendem brigadeiro porta a porta, àqueles que possuem redes de cafeterias ou restaurantes, devem fazer gastronomia. Gastronomia não é o alimento por si só, e sim a experiência que esta em torno do ato de se alimentar. Então, para vocês que querem repaginar geral, ou para quem quer pensar em abrir um novo negócio, se liguem nessas dicas:

  1. Alimentação restritiva

Cada vez mais as pessoas tem tomado conciência de que somos aquilo que comemos. Por conta de anos de uma alimentação desregrada e industrializada, muitas pessoas acabaram desenvolvendo intolerências e até alergias à alguns alimentos. No passado eram raros os estabelecimentos que comercializavam estes alimentos, mas hoje em dia, dispor de um cardápio que ofereça opções a este público, com sabor e valores acessíveis, torna-se essencial. Muitas pessoas, por conta própria, também acabam decidindo não ingerir mais alguns produtos, como o caso do glúten e da lactose. Por isso, investir em produtos voltados à este público, trabalhando a imagem de que são saudáveis, além de gostosos, é uma grande sacada para quem quer inovar em 2020.

 2. O retorno ao clássico

Houve um tempo em que a gastronomia molecular fez a cabeça de muitos chef’s e estudantes de gastronomia. Porém, com o advento dos programas de televisão que tratam de gastronomia e com a popularização das técnicas clássicas, as pessoas estão buscando, cada vez mais, pratos que tenham um sotaque francês. Uma ótima sacada é oferecer produtos que tenham essa pegada.

3. Alimentos fermentados

Primando pela saúde, as pessoas estão buscando opções que lhe auxiliem a levar uma vida cada vez mais leve, regrada, e que lhes proporcione bem-estar. Paralelo a isso, a oferta de alimentos fermentados naturalmente tem crescendo cada vez mais. A utilização destes produtos auxilia no processo da digestão, o que acaba influenciando em fatores fisiológicos e, inclusive, emocionais. São produtos obtidos por meio da ação de micro-organismos que utilizam do substrato de alimentos produzindo gás carbônico e álcool, em alguns casos. Que tal focar nesse mercado e se especializar na produção de kombucha, vinagre caseiro, kimchi, iogurte e missô?

4. Comer de pijama e pantufa

Um dos maiores investimentos que devem ser pensandos para 2020 é a oferta de delivery. As empresas de food delivery estão crescendo de maneira gigante e estão aí para serem nossas parceiras em nossos negócios. Com a vida cada vez mais corrida, ficar em casa, poder relaxar e comer aquilo que se tem vontade, tem sido um programa cada vez mais cobiçado pelas pessoas. Por isso, por menor que seja seu negócio, é hora de abrir a cabeça e aceitar que a modernidade chegou.

5. “Eu que fiz”

Em meio a tantas opções de produtos industrializados, de conservantes que são mais consumidos do que a própria água, frisar seu produto como “caseiro”, “feito a mão” ou “artesanal”, ganha uma relevância gigante. Além disso, vale a pena mostrar ao seu cliente que seu produto é o mais artenasal e natural possível. Por isso invista em um espaço onde você possa plantar ou criar algo. O espaço é pequeno, aposte em vasos e cultive alguns temperos e hortaliças. Quanto mais caseiro, mais procurado.

6. Rusticidade é a palavra

Apesar de estarmos buscando sempre aquilo que é mais simples ou que traga facilidades, comer já não é mais um momento de alimentar o físico tão somente. A experiência em torno da comida é a chave para o sucesso de quem trabalha no mercado da alimentação. Ao invés de entregar o pão fatiado, invista em um pão caseiro inteiro, numa bonita embalagem de papel kraft. Sentar-se à messa, cortar o pão e ouvir aquele barulinho, talvez faça a diferença no dia do comensal. Além disso, tem sido cada vez mais cultivado a beleza e a simplicidade do alimento. Vai servir tomates assados como guarnição? Ao invés de se preocupar com o corte, mande-os para a mesa inteiros e com os galhos. Esse ar rústico faz toda a diferença.

7. O menos é mais

O brasileiro tem um paladar um tanto quanto “desregrado”. Nos acostumamos com os excessos, seja de gordura, de açúcar ou de sal. Por conta desse movimento de disseminação da gastronomia, nosso paladar tem reaprendido a identificar o que realmente é gostoso. Saímos de um ano de 2018 onde as “gordices” eram a grande moda, passando por um 2019 de adaptação e miramos em um 2020 onde o “menos é mais”. Preparações menos elaboradas, com menos misturas de produtos, são a grande aposta. Se o bolo é de milho, é de milho. Nada de ficar colocando recheio disso, cobertura daquilo e perfume daquele outro.

8. A casa da vó

Para 2020, se vocês está pensando em reformar ou abrir um estabelecimento, a aposta é a casa da sua avó. Nada de louças chiques, porcelanas e pratarias. A tendência para o próximo ano é criar uma ambientação que que atue junto à memória afetiva. Especialistas em metacogniração e neuromarketing defendem que pessoas tendem a consumir mais em locais em que sua memória afetiva seja atinjida. Então muito duralex, copo de requeijão, rendinhas e bordados.

9. Embalagens ecoconscientes

Os consumidores estão cada vez mais conscientes. Por isso tem a tendência em procurar marcas que utilizam de embalagens que ajudam na preservação do meio ambiente. A busca por alternativas que sejam ambientalmente corretas, e até mesmo o uso de símbolos técnicos nos rótulos, é algo que veio para ficar. Prova disso é a abolição dos canudos de plástico e a maneira como grande parte da população apoiou e apóia tal medida. Procure fornecedores novos e vamos proteger nosso planeta.

10. A dica de outro: empatia

Vivemos em um mundo em que os avanços tecnológicos e a indústria 4.0 acelerou processos, mas distanciou pessoas. Cada vez mais raro é o fato de sorrir para alguém na rua. E o que dizer de lembrar do nome do vizinho do apartamento ou casa ao lado? Nessa era onde as pessoas se conhecem mais no virtual do que no real, estabelecer uma relação empática é algo que salta aos olhos de qualquer pessoa. Não importa o que você faça, seja o mais “humano”, pessoal e real o possível com seus clientes. Recebeu uma encomenda de bolo para aniversário? Aproveite e envie uma carta, escrita à próprio punho, felicitando pela data e, talvez, com um brinde. O bolo pode até não estar tão gostoso, mas com certeza é de você que o cliente irá lembrar quando quiser realizar outra encomenda. A gastronomia tem o poder de aproximar as pessoas em torno do sabor, e saber usar desse artifício é uma dica de ouro na atualidade.

Texto: William Paranhos

Fonte: Massa Madre Blog