Pintura, escritos, figurinos, produções, desenhos de moda do artista e objetos pessoais, como mobílias e capas de LPs estão expostos à população.

O Centro Cultural Óscar Ramos – uma homenagem ao renomado artista amazonense que morreu em junho deste ano, foi inaugurado na noite de quinta-feira (24), dia em que Manaus celebrou 350 anos.

O espaço fica nas casas 69 e 77, que figuram entre as residenciais mais antigas da cidade, localizadas na rua Bernardo Ramos. Elas foram restauradas e passam a ser sede do Centro Cultural.

“Esse centro é presente do próprio Óscar, que ainda em vida doou suas obras. O Óscar era muito maior do que eu e sua grandeza não caberia na minha casa, daí a ideia desse espaço, para continuar uma grande paixão dele, que era permitir que os jovens experimentassem a arte”, disse em tom de saudosismo o vice-presidente da Manauscult e curador do Centro Cultural Óscar Ramos, José Cardoso, amigo do homenageado.

Familiares e amigos de Óscar Ramos, dentre os quais personalidades importantes da cultural local, fizeram questão de estar presentes na inauguração.

“Ele era um nome muito respeitado pelos artistas brasileiros e a cidade de Manaus foi capaz de reconhecê-lo. Antes de morrer foi curador do Museu da Cidade e, mesmo depois de partir, deixa esse rico legado para as futuras gerações”, disse o presidente do Concultura, Márcio Souza. “Uma iniciativa muito simbólica. É mais um espaço cultural no Centro, que vai acrescentar muito para quem frequenta essa área da cidade, para o turismo e para a cultura”, comentou o secretário de Estado de Cultura, Marcos Apolo.

Para o primo do homenageado, Antônio Ramos, o sentimento era de orgulho e gratidão. “O Óscar era um artista que gostava muito dessa área histórica da cidade. Esperamos que artistas, turista e estudantes continuem utilizando desse espaço”, reforçou.

Funcionamento

O Centro Cultural Óscar Ramos deverá funcionar nos mesmos horários do Museu da Cidade, de terça a domingo, das 9h às 17h. Na casa 69 estará a exposição permanente do Óscar Ramos, com pintura, escritos, figurinos, produções, desenhos de moda do artista e objetos pessoais, como mobílias e capas de LPs. Já a casa 77 sediará exposições temporárias de Óscar Ramos e outros artistas, com quadros que nunca foram expostos, entre outros materiais.