A disponibilização de R$ 500 mil em empréstimos da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) para a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) para presos investirem em pequenos negócios, ganhou o nome de ‘Bolsa Bandido’, na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), na última terça-feira (19).

O representante do governador Wilson Lima dentro da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado estadual Carlinhos Bessa, se pronunciou explicando que não apoia esse financiamento, mas ele existe desde 2005.

Veja a declaração do deputado:

Meus amigos e eleitores, 

Durante essa semana, meu discurso foi distorcido e transformado em factoide político. Prática bastante comum da velha política. Fui acusado, entre outras coisas, de apoiar o financiamento da criminalidade. 

Como deputado estadual, vejo, todos os dias, a necessidade do nosso Estado e do nosso povo. Como filho do interior, conheço bem a realidade daqueles que vivem longe da capital. Sei que o Amazonas possui demandas prioritárias para resolver e não poderia compactuar com nenhuma outra atitude que não a de ajudar o povo do Amazonas.

Em nenhum momento, na tribuna do Plenário Ruy Araújo, afirmei que apoiava a destinação de verbas da Afeam para a Seap, apenas esclareci o convênio que já existe desde 2005 e a redução de 50% do aditivo feita pelo governador Wilson Lima. Não existe “bolsa-bandido”, tampouco apoiaria qualquer iniciativa que incitasse ou beneficiasse a criminalidade ou fosse prejudicial ao bem-estar e a segurança pública da população que represento.

Em respeito a cada um de vocês, venho reiterar meu compromisso com a verdade, com o trabalho e e a defesa dos interesses dos que me elegeram.

Representar a nova política não é uma tarefa fácil. Com fé em Deus e o apoio de todos aqueles que confiam no nosso trabalho, seguiremos trabalhando pelo melhor para o povo do Amazonas.