Presidente da Colômbia apontou que os países defenderão a redução de emissão de gases causadores de efeito estufa e a transição energética na Convenção do Clima.

O presidente Jair Bolsonaro e presidente da Colômbia, Ivan Duque, afirmaram que irão defender juntos a Amazônia juntos durante a Convenção do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU). A declaração foi feita durante a visita oficial de Duque, ao Palácio do Planalto. Após terem uma reunião fechada, o presidente Bolsonaro foi o primeiro a falar à imprensa. “E com toda a certeza chegaremos unidos em Glasgow para tratarmos de um assunto muito importante e caro para todos nós: a nossa querida, rica e desejada Amazônia”, disse Bolsonaro. O presidente da Colômbia apontou que, na Convenção do Clima, que acontecerá em novembro na Escócia, os países defenderão a redução de emissão de gases causadores de efeito estufa e a transição energética. Para Duque, a preservação da Amazônia passa pelo combate aos crimes ambientais com atenção à soberania dos países.

“A Amazônia, para nós, é um território muito valioso e cuidamos dela dentro da nossa soberania. Mas é também muito importante que essa defesa traga com isso uma luta eficaz contra os crimes ambientais”, lembrou o colombiano. Na visita oficial, o presidente da Colômbia e o presidente Jair Bolsonaro assinaram sete acordos de cooperação em pesquisa, saneamento, agricultura, desenvolvimento empresarial, segurança e serviços aéreos. De acordo com o chefe do Executivo brasileiro, a Colômbia tem intenção de renovar a frota de aviões. O que representa uma oportunidade de negócios para o Brasil. “Temos um bom relacionamento. Também somado a tudo isso, a questão da defesa, onde o senhor presidente manifestou o seu interesse em renovar a sua frota de aviões e treinamento, em especial da família dos Super Tucanos”, relatou Bolsonaro. Em Brasília, Duque ainda fez visitas oficiais ao Senado e à Câmara dos Deputados. Em diálogo com o presidente da Câmara, Arthur Lira, o líder colombiano reforçou a necessidade dos países se unirem pela preservação da Amazônia.

Fonte: JP Notícias