Aeronave que caiu no mar em Ubatuba, litoral de SP, estava registrada como propriedade do copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos.

São Paulo – O avião bimotor, que caiu na noite dessa quarta-feira (24/11) em região de mar aberto em Ubatuba, no litoral de São Paulo, não tinha autorização para fazer táxi aéreo, segundo informações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

A aeronave modelo PA-34-220T estava registrada como propriedade do copiloto José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos. Ele, o piloto e um passageiro estava a bordo do bimotor.

Fabricado em 1981, o bimotor estava registrado na categoria para serviços aéreos privados e tinha autorização para fazer voos noturnos.

Porém, o status da operação do avião aparece como “operação negada para táxi aéreo”. O avião bimotor foi fabricado pela Piper Aircraft e tinha capacidade para transportar seis pessoas.

Destroços

A Aeronáutica informou  que o Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico de Curitiba (ARCC-CW), unidade da Força Aérea Brasileira responsável por coordenar as operações de buscas aéreas na região, encontrou destroços de uma aeronave no mar nesta quinta-feira e que podem ser do bimotor.

A FAB foi notificada do acidente na noite dessa quarta-feira (24/11) sobre o desaparecimento da aeronave de prefixo PP-WRS no litoral do estado do Rio de Janeiro. De acordo com a nota do órgão, às 4h15 desta quinta um helicóptero iniciou as buscas na área delimitada, utilizando óculos de visão noturna (NVG, sigla em inglês para Night Vision Goggles).

Ainda segundo a Aeronáutica, às 6h35 a Força Aérea Brasileira localizou destroços com probabilidade de serem da aeronave desaparecida. A localização foi repassada aos órgãos de busca marítima e os voos continuam.

O Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro informou que a ação de resgate às vítimas está sendo realizada pelo Centro de Coordenação de Salvamento Aeronáutico (Salvaer).

O acidente aconteceu em uma área de mar aberto na região de Ubatuba, São Paulo. No entanto, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro disponibilizou uma equipe para dar apoio à Aeronáutica.

Fonte: Metrópoles