O assessor político Frank Sena convocou a imprensa na última segunda-feira (30) para esclarecer o boato de que o mesmo estaria assediado uma menina de 13 anos pelo Whatsapp.

Na ocasião, ele imprimiu e apresentou as imagens “printadas” do número de celular que usou sua foto para montar o suposto assédio, e provou que é o mesmo número responsável por espalhar posteriormente os prints da pressuposta conversa nos grupos do Whatsapp.

Jackson também reforçou que escreve português corretamente, diferente do que foi visto no diálogo. E mostrou uma parte da conversa apresentada como prova, que a pessoa pergunta e erroneamente responde a ela mesma. Entenda:

Para concluir as provas e comprovar de vez a sua defesa, o assessor informa que a “tal menor” de idade não existe, e que não há nenhum boletim de ocorrência em relação ao caso, como havia se espalhando por ai. Quanto às fotos íntimas vazadas, Jackson afirma ser ele, mas diz que são fotos antigas usadas pelo caluniador para tentar prejudica-lo.

Nota

O portal A Repórter veio esclarecer a versão de Jackson Sena, uma vez que veiculou notícias relacionadas a essa acusação.
O portal entende que não haviam fatos que comprovassem a acusação, e colocou em dúvida o conteúdo da conversa no momento em que analisou e observou o erro por Jackson apontado, trazendo a princípio divulgação da acusação sem mostrar nomes ou fotos, e sem afirmar que o mesmo teria cometido algum crime.
O portal só apresentou o nome do assessor no momento em que o mesmo veio a público convocar a imprensa para esclarecer sua versão.

O portal A Repórter repudia a prática de Fake News e a divulgações de informações que venham a prejudicar a imagem de qualquer pessoa. E se põe a disposição ao direito de resposta.

Érika Passos
Diretora-geral