Uma semana após a trágica morte da blogueira Alinne Araújo, o ex-noivo dela, Orlando Costa, não conteve as lágrimas ao falar pela primeira vez publicamente sobre a relação deles e sobre como tem sido lidar com sua perda em uma entrevista à RecordTV.

“Só quem julgou foram pessoas que não me conheciam. Eu ofereci médico, psicólogo, ofereci coisas que eu julgava serem boas, que ela gostava, que dizia que era sonho dela. Dei todo meu amor, todo meu carinho. Saía de casa e dizia: ‘qualquer coisa, liga pro mozão’. Tentei de tudo. Mas não consegui”, lamentou Orlando com a voz embargada, ao falar sobre as pessoas que o culparam pela morte.

“O que que eu vou falar? Não consegui. Como posso aconselhar alguém?”, completou ele. O ex-noivo de Alinne também revelou que os pais dele não apoiavam completamente o noivado. “Qual mãe, qual pai é a favor de ver um filho correndo atrás de uma mulher que falava que ia se matar. Minha mãe falava: ‘meu filho, nunca mais te vi leve, te vi sorrindo’, porque eu sempre fui muito sorridente, brincalhão”, desabafou Orlando.

Um dia após a morte, o empresário havia mostrado seu pesar pela morte da ex. “Eu estou tentando escrever, assim que eu tiver forças, eu explico melhor, só posso adiantar que eu não existo mais, estou acabado”, escreveu ao lado de uma selfie. A imagem recebeu muitos comentários de ódio e, por isso, Orlando resolveu deletar sua conta no Instagram.

Ele e Alinne deveriam ter se casado no dia 14 de julho, mas segundo a própria blogueira contou aos seus seguidores, ele terminou o relacionamento por mensagem um dia antes. “Vocês sabem a dor de confiar em alguém cegamente e achar que encontrou o companheiro da vida e, um dia antes da celebração do amor de vocês, a pessoa some. Manda uma mensagem pelo WhatsApp e termina todos os sonhos de vocês”, relatou a carioca em seu perfil profissional ‘Seje Sincera’.

Segundo o pai de Orlando, o término entre os dois aconteceu porque Alinne teria pedido para o noivo assinar um documento que passava todos os bens para o seu nome em caso de morte. O documento seria uma espécie de testamento e assustou o empresário. “Sobre a ideia do testamento, ele disse que não queria valer mais morto do que vivo, mas não dava mais para fazer alterações no documento, estava muito em cima”,contou Alinne para a Veja SP. Ela então sugeriu que eles celebrassem a festa e remarcassem o casamento civil. O noivo aceitou, mas horas depois mudou de ideia e acabou desistindo de tudo.

Orlando da Costa, o pai, defendeu a ação do filho de ter mandado mensagem pelo WhatsApp, dizendo que ele não quis atender a ligação porque a jovem poderia convencê-lo a continuar com o casamento. “Ela tem um poder muito grande sobre ele”, afirmou para a publicação. “Ele não quer falar com ninguém, só chora, porque é muito apaixonado por ela.”

Ainda pelo Instagram, na ocasião, a estudante da psicologia descreveu seus sentimentos após tomar conhecimento da decisão do até então noivo. “Fui pega de surpresa, quis morrer, ele sempre soube da minha condição e não se importou em como eu estaria. Eu recebi a notícia estava dirigindo, tive uma crise no volante, larguei meu carro e me atirei numa via expressa, mas papai do céu é bom e me salvou mais uma vez”, escreveu Alinne.

A influencer, então, contou aos seus seguidores que iria manter a cerimônia de casamento, que havia sido planejada por seis meses e que custou 70 mil reais, segundo a Veja SP. “Poderia ficar aqui chorando, mas tem uma festa linda me esperando, então hoje caso comigo mesma em nome da minha vida nova. Me desejem sorte”, concluiu ela.

Mais tarde, ela postou os vídeos e fotos da festa e comemorou o dia: “Com muito amor realizamos nossa cerimônia. Família e amigos segurando minha mão e só aí fui capaz. Obrigada por tudo Suelen ❤️”.

Relembre o caso

Alinne Araújo cometeu suicídio na tarde do dia 15, algumas horas após o fim da sua festa de casamento. A cerimonialista da festa, Suelen Rodrigues, e a tia da jovem, Saionara Araújo, confirmaram a triste notícia.

Dois dias depois, a mãe da aspirante à atriz, Elizabete Araújo, participou do programa “Encontro com Fátima Bernardes” e desabafou sobre o caso. “O sonho dela era casar. Eu estava deitada de um lado e ela deitada de outro[do sofá].Foi no momento em que cochilei”, relembrou ela.

Elizabete continuou: “Alinne me dizia: ‘Meu mundo acabou’. Eu falava que não, que ela era jovem. Fiz que não entendi. Mas meu mundo acabou. Minha filha era uma joia rara”.

IMPORTANTE:Depressão e bullying são assuntos super sérios e podem atingir qualquer pessoa. Se você ou alguém que você conhece está passando por dificuldades emocionais ou considerando o suicídio, ligue para o ‘Centro de Valorização da Vida’ pelo número 188. O CVV realiza apoio emocional, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias. Para mais informações, clique aqui.

Fonte: Record TV e Hugo Gloss