Novo programa de Segurança Pública vai integrar órgãos e melhorar infraestrutura, tecnologias, equipamentos e recursos humanos.

O governador Wilson Lima lançou, nesta quinta-feira (08/07), o programa Amazonas Mais Seguro, com investimentos de R$ 280 milhões que incluem a implantação de um sistema inédito de câmeras inteligentes e concurso público para as forças de Segurança com 2.525 vagas. O lançamento ocorreu no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), bairro Aleixo, zona centro-sul de Manaus.

“O plano que nós estamos lançando não é um plano de Governo, é um plano de Estado, porque o que nós estamos implantando aqui ficará permanente, não tem como lá na frente alguém querer mudar. No momento em que a gente implanta a tecnologia, no momento em que a gente vem com a modernidade, não consegue retroagir”, destacou o governador ao citar que o plano é o mais eficiente e integrado da história da Segurança Pública do estado.

O total de investimentos será destinado à melhoria na infraestrutura das forças de Segurança, aquisição de novas tecnologias para o combate à criminalidade, incremento e modernização do arsenal bélico das Polícias Civil e Militar, além de medidas para valorização e ampliação de recursos humanos.

Conjunto de ações – O programa Amazonas Mais Seguro contempla um conjunto de ações, com implementação de curto e médio prazos, promovendo a integração dos órgãos de Segurança para que seja possível alcançar a redução das taxas de homicídios e outras mortes violentas.

Também objetiva ampliar a apreensão de entorpecentes, armas de fogo e munições, além de aumentar o índice de resolução de inquéritos de crimes letais intencionais.

Com isso, o Governo do Amazonas, através da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), busca levar mais segurança para a população, além da melhoria da produtividade e redução dos índices criminais.

Videomonitoramento inteligente – Uma das novidades do Amazonas Mais Seguro é a implantação do “Cerco Inteligente de Videomonitoramento”. Ao todo, serão instaladas 500 câmeras em pontos estratégicos de Manaus.

Além do equipamento com alta capacidade de captura de imagens em movimento, a nova tecnologia de monitoramento policial é composta de um sistema de processamento de dados que permitirá, em tempo real, a análise e pesquisa de informações de interesse policial, como o controle de veículos roubados ou furtados e até mesmo a circulação de veículos suspeitos de participação em crimes.

“Isso é inédito no estado do Amazonas. O sistema que estamos trazendo pra cá é um sistema de ponta que existe em poucos estados e poucas capitais brasileiras, e isso vai nos ajudar a solucionar homicídios, vai nos ajudar a continuar fazendo apreensão de drogas, de armas, vai diminuir muito a questão dos roubos a ônibus, levando em consideração que o crime se movimenta sobre rodas. O criminoso sempre está a bordo de um carro ou de uma moto e o nosso sistema aqui vai capturar tudo isso, inclusive a cor do carro”, explicou o governador.

Fase de testes – Com o projeto, o governo amazonense está aplicando recursos da ordem de R$ 34,7 milhões. O projeto já está em fase de testes, com a utilização de 21 câmeras espalhadas pela capital.

Além da instalação das 500 câmeras, haverá capacitação dos operadores para o monitoramento e a criação de uma equipe policial especializada para coordenar investigações. A iniciativa deve ser completamente implementada em setembro deste ano.
Concurso público – O governador destacou que há uma década não é realizado nenhum certame para ampliação do número de profissionais de carreira. Disse, ainda que, na próxima semana irá instituir oficialmente as comissões que cuidarão desse processo.

“Nós estamos anunciando aqui um concurso público com 2.525 vagas. Há mais de dez anos que não havia concurso para as forças de Segurança no estado do Amazonas. E semana que vem a gente vai instituir as comissões e anunciar as vagas que cada força vai ofertar”, disse.

Objetivos estratégicos – O programa Amazonas Mais Seguro conta com 13 objetivos estratégicos. Entre eles, estão fortalecer as operações realizadas contra o crime organizado e de combate ao tráfico de armas e ao narcotráfico no estado; aumentar o índice de inquéritos concluídos e remetidos dos crimes de mortes violentas; ampliar o número de operações integradas de grande porte; e promover a saúde física, mental e psicossocial, além de fomentar a capacitação dos servidores do sistema de segurança pública.

Para colocar os objetivos estratégicos em prática, o sistema de Segurança vai contar com a capacitação de servidores, ampliação de integração entre as polícias, criação de novos departamentos, além de integração com instituições estaduais e municipais.

Eixos estruturantes – O Amazonas Mais Seguro está calcado eixos estruturantes que nortearão os órgãos do Sistema de Segurança Pública quanto às ações, programas e projetos associados à Segurança Pública no estado. Dentre os projetos e atividades estão:

• Legislações: Compreende os projetos e atividades relacionados à edição, adequação e aprimoramento das normas, leis e diretrizes que regulam o funcionamento dos órgãos de Segurança Pública;

• Infraestrutura: Conjunto de projetos e atividades referentes à construção, reforma e ampliação dos espaços físicos e unidades dos órgãos de Segurança Pública, defesa social e trânsito;

• Equipamentos: Política de modernização de ativos e da logística de aquisição de viaturas, embarcações, armamentos, equipamentos, materiais e insumos;

• Tecnologia: Contempla os projetos e atividades relacionados à política de inovação tecnológica e a logística de aquisição hardware, software, licenças e serviços voltados a adequação e adoção das melhores tecnologias aplicadas à segurança pública existentes no mundo para análise criminal e integração de base de dados se Segurança Pública, inteligência policial e investigação criminal, modernização do sistema de telecomunicação;

• Recursos Humanos: Projetos e atividades relacionados à política de recursos humanos das instituições, perfazendo os ciclos de ingresso, formação, capacitação, valorização profissional e projetos voltados ao serviço inativo;

• Programas sociais: Projetos e atividades relacionados às políticas de integração social do público interno ativo e inativo, bem como entre os entes do sistema de Segurança Pública e a comunidade em geral.

FOTOS: Luca Silva/Secom