A confeiteira investe em objetos que parecem reais, mas são apenas um bolo. Ela conta com mais de 2 milhões de seguidores no TikTok.

“Eu não confio em quem não gosta de bolo”. A frase dita por Vivi Cake Designer com exclusividade  resume o estado de espírito dos amantes de bolo. Apontado como uma das tendências de gastronomia para 2022 pelo  Pinterest Predicts, ele promete vir em versões diferenciadas no próximo ano.

Protagonista das festas de aniversário e comemorações importantes, o bolo sempre conta com uma tendência que bomba nas redes sociais (e nos pedidos das confeitarias). Já passamos pela onda dos bolos de KitKat, dos naked cakes e até dos amados bolos decorados com papel de arroz, muito presentes nos aniversários infantis das crianças da década de 1990.

O setor de confeitaria é um dos segmentos que mais tem crescido e movimentado a economia brasileira desde a pandemia. De acordo com pesquisas feitas pelo Sebrae, o mercado de doces, confeitarias e fábricas chega a faturar R$ 12 bilhões a cada ano.

Atualmente, duas tendências dominam as redes sociais e os paladares: o bento cake (que já indicamos onde comprar em Brasília nesta matéria aqui) e o “bolo de tudo”. Sim, você não leu errado! Os bolos com formatos inusitados (que vão de elefantes a torneiras) são sucesso na Internet pelas mãos de Vivi Cakes.

Mas a confeiteira não começou com as esculturas já de cara. “Eu comecei a fazer bolos já tem 7 anos. A ideia de cozinhar surgiu durante uma crise financeira e fiz alguns bolos de pote para vender e complementar a renda”, explica. Contudo, o sucesso dos sabores foi tanto, que os clientes de Vivi começaram a pedir bolos grandes. “Eu não sabia como fazer e nem como confeitar. Fui para o Google pesquisar sobre”, conta.

Autodidata, ela afirma que aprendeu tudo o que sabe sozinha, apenas na base da “tentativa e erro”. “Eu fui me arriscar. Comecei a fazer modelagens com pasta americana e deram certo. Claro que, no início, os bolos não eram como hoje. Mas fui me aperfeiçoando e nunca desisti”, comenta.

Moradora do interior do Paraná, a influenciadora viu a vida mudar em março deste ano, após postar o primeiro vídeo no TikTok. ” Eu não escolhi esse mundo, foi esse mundo que me escolheu. Fiz uma postagem com um pedaço de carne crua, que na verdade era bolo. Tiveram várias curtidas. Contudo, dias depois, postei um bolo em formato de coxinha e nunca mais fui a mesma”, brinca.

A conta na plataforma de vídeos hoje tem com mais de um milhão de seguidores. No Instagram, ela ostenta 290 mil internautas conectados. “Acho que as pessoas perceberam que só ver uma foto do bolo não bastava, pois é tudo uma experiência gastronômica. Tem que ver cortando, ver dentro, ver comendo…”, frisa.

Sobre a dificuldade de esculpir as obras de arte comestíveis, ela conta que cada bolo tem a uma particularidade. “A maior dificuldade é a estrutura. A decoração é pesada, feita com pasta americana, então o bolo tem que suportar ela em cima sem desabar”, comenta.
E o bolo mais difícil de fazer? “Um elefante gigante que fiz para um concurso. Devia ter uns 70 centímetros de altura, e todo o corpinho dele se sustentava apenas nas quatro patas. Passei uma semana fazendo”, complementa, dizendo que tem vontade de fazer outro projeto como esse.

Para o futuro, ela revela que o hoje é o que importa. “Eu não sou uma pessoa de ficar sonhando, eu faço! Sou focada e quero crescer na Internet atendendo as expectativas dos meus seguidores”, confirma. Mas ela revela um sonho: “Vou fazer diferença na confeitaria e levar a confeitaria artística brasileira ao mundo”, finaliza.

Fonte: Metrópoles