Eleito vereador de Manaus há menos de duas semanas, o ex-diretor do Procon-Manaus, Rodrigo Guedes, protocolou na Polícia Federal uma denúncia contra os donos de postos de combustíveis de Manaus por formação de cartel e combinação de preços.

Rodrigo Guedes havia denunciado nas redes sociais que os empresários estavam combinando os preços nas semanas que antecederam o primeiro turno da eleição. Naquela época, o preço da gasolina em Manaus era cobrado a R$ 3,69.

O ex-diretor do Procon avisou na Internet que logo após a eleição a gasolina sofreria um grande reajuste, o que realmente aconteceu.

Um dia após o primeiro turno, o combustível foi reajustado para R$ 4,49, pegando de surpresa a maioria dos consumidores.

Segundo Rodrigo Guedes, já havia um acordo entre os donos de postos para aumentar o preço dos combustíveis, o que confirma a prática de cartel.

“Quem procurou gasolina no dia 16 de novembro encontrou preços novos em todos os postos de Manaus. Houve um acordo entre os empresários para reajustar, na calada da noite, o preço dos combustíveis”, denunciou Rodrigo Guedes.

Diante da formação explícita de cartel e combinação de preços, que são proibidas pelo Código de Defesa do Consumidor, o ex-diretor do Procon formalizou uma denúncia junto à Polícia Federal.

O objetivo é contar com o apoio da PF para investigar a ação dos empresários e combater a prática criminosa que há décadas acontece em Manaus, prejudicando milhares de consumidores.