Estudo do CDC americano aponta que risco de infecção caiu 80% em profissionais da linha de frente vacinados.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos divulgou, nesta segunda-feira (29/3), um levantamento que comprova que as vacinas Pfizer/BioNTech e Moderna são “altamente eficazes” já na primeira dose. A pesquisa, feita com profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus, descobriu que o risco de infecção diminuiu em 80% após a aplicação da primeira dose dos imunizantes.

A análise do CDC mostrou, ainda, que a eficácia das vacinas saltou para 90% após a segunda dose. Ao todo, 3.950 profissionais de saúde participaram do estudo. Nenhum dos voluntários tinha histórico de infecção por Sars-CoV-2. Do total de participantes, 2.479 (62,8%) receberam duas doses da vacina do tipo mRNA (genética), 477 (12,1%) foram imunizados com apenas uma dose de vacina do tipo mRNA e 994 não receberam nenhuma dose da vacina.

O estudo acompanhou as primeiras 13 semanas de vacinação, de dezembro de 2020 a março de 2021. As infecções foram confirmadas por meio de testes RT-PCR.

Rochelle Walensky, diretora do CDC, afirmou em uma nota pública que os dados confirmam a eficácia dos imunizantes demonstrada em estudos clínicos das farmacêuticas fabricantes. Segundo ela, “este estudo mostra que nossos esforços para uma vacinação nacional estão funcionando”.

Os especialistas do CDC concluíram, então, que as vacinas de mRNA contra a Covid-19 são eficazes na prevenção de infecção pelo Sars-Cov-2 entre os adultos trabalhando em condições do mundo real. “A vacinação contra a Covid-19 é recomendada para todos aqueles que puderem”, reforçaram.

Fonte: Metrópoles