A UGPE é o órgão do Governo do Estado responsável pela execução de projetos como o Prosamim e o ProsaiMaués

Com o intuito de aprimorar as práticas de gestão, economizar, aumentar a produtividade e a qualidade dos projetos executados, o Governo do Estado, por meio da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), iniciou a implementação da plataforma Building Information Modeling (BIM) que, em português, significa “Modelagem da Informação e Construção”.

A nova metodologia de gerenciamento e gestão de processos construtivos, chamada de BIM, vem sendo difundida através de uma estratégia nacional para a disseminação da plataforma realizada pelo Governo Federal e que entrou em vigor após o Decreto nº 9.377, de maio de 2018.

Na UGPE, a implementação da metodologia BIM tem a finalidade de melhorar os processos internos, como a concepção e a revisão do projeto; aumentar a qualidade de obras através de maquetes e projetos tridimensionais e ter um controle mais assertivo sobre o tempo de execução e o custo.

De acordo com o assessor de Planejamento da UGPE, arquiteto Cristiano Almeida, a implementação da metodologia é focada nos processos, pessoas e tecnologia. “Inicialmente, estamos trabalhando em duas frentes dentro da UGPE. Em primeiro lugar, estamos produzindo diagnóstico de todos os processos que estão relacionados com a elaboração de projetos, como as licitações, onde as empresas contratadas devem se utilizar do BIM na execução de suas obras. Em paralelo, estamos fazendo os treinamentos, workshops para a implementação das ferramentas que a gente vai usar para fazer essa gestão e definição da metodologia BIM”, explicou.

Para que a implementação da metodologia ocorra, a UGPE está realizando estudos de caso, com a elaboração de projeto-piloto para implementar nas obras. A perspectiva é que, em 2021, já tenham obras dentro da plataforma BIM em fase de teste e que, a partir de 2022, todas as obras do Prosamim já estejam inseridas no contexto da nova metodologia.

“O BIM vai trazer mais modernidade, celeridade e economia para todos os projetos executados pelo Governo do Estado por intermédio da UGPE. Nós já possuímos um quadro técnico de excelência e a modernidade e a tecnologia trazidas pelo BIM vão otimizar nossos processos desde a concepção do projeto até a conclusão da obra”, afirmou o coordenador executivo da UGPE, Marcellus Campêlo.

Sobre o Building Information Modeling – O BIM possibilita a criação de um modelo virtual com informações técnicas da edificação. Assim, permite a colaboração de vários profissionais durante a viabilidade do projeto: planejamento, execução e operação da obra.

O BIM é uma coletânea de bancos de dados das disciplinas do projeto. Com esses dados integrados e a adoção de ferramentas específicas, é possível identificar interferências, fazer simulações financeiras, de conforto térmico e até acústico.

Fotos: Tiago Corrêa/UGPE