Crimes aconteceram em zonas distintas da capital.

Três assassinatos foram registrados na noite deste domingo (24), em bairros distintos de Manaus. Todos as vítimas, três homens, foram mortas a tiros. A polícia investiga os casos.

Por volta das 19h, um autônomo de 23 anos foi morto a tiros no beco da União, bairro Santo Agostinho, zona Oeste de Manaus. A vítima foi abordada por criminosos, que efetuaram disparos de arma de fogo. O crime ocorreu bem próximo a um local em que um outro homem havia sido assassinado no sábado (23).

Para a polícia, a família relatou que o jovem morava há 3 anos em Manaus. Ele era usuário de drogas e, possivelmente, se desentendeu com membros de uma facão criminosa.

O segundo homicídio aconteceu por volta das 20h, na rua Pau-Ferro, bairro Jorge Teixeira, na zona Leste de Manaus. Um chapeiro de uma lanchonete, de 19 anos, foi morto a tiros em uma área de mata. A família da vítima teve conhecimento da morte após ver o vídeo da execução em um portal de notícia.

“É desrespeitoso, anti-ético, a dor da família já é grande e ainda publicam essas coisas”, disse a mulher da vítima, que preferiu não se identificar.

Moradores da região não souberam informar para a polícia mais detalhes. No total, 14 cápsulas de munições foram recolhidas pela Delegacia de Homicídios e Sequestros. O homem era monitorado por tornozeleira eletrônica, ele já tinha sido preso por tráfico de drogas e porte ilegal de arma.

Ele era morador do bairro São José, também na Zona Leste. Segundo familiares, o jovem recebia ameaças por rede social, mas não sabia quem era o emissor das mensagens. A suspeita é que o homem tenha sido morto em uma emboscada.

O terceiro caso ocorreu na Rua D, bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus. Um jovem de 26 anos foi morto com mais de dez disparos. A vítima estava em frente a uma lanchonete, quando foi abordada por dois criminosos que chegaram ao local a pé.

Para a polícia, a mãe relatou que o filho já tinha passagem por tráfico e a suspeita é que o assassinato tenha sido motivado por acerto de contas relacionado a facções criminosas.

Todos os crimes foram registrados pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros, que vai investigar os casos para identificação da autoria das mortes.

Fonte: G1 Amazonas