Desconforto pode durar dias e costuma desaparecer sem necessidade de qualquer intervenção, porém, há formas de evitar que isso aconteça.

É bem provável que você já tenha sentido tremores nas pálpebras alguma vez na vida e pode ser que ultimamente esses episódios tenham se intensificado por conta do contexto de pandemia em que estamos vivendo.

Essa pequena contração involuntária continuada, geralmente, desaparece em dois ou três dias, mas em alguns casos pode se prolongar por mais tempo.

Segundo o oftalmologista André Borba, especialista em oculoplástica pela Universidade da Califórnia, a mioquimia – nome dado a esse tremor da pálpebra – é um dos problemas que pode acontecer com qualquer pessoa que esteja com alto nível de estresse, ansiedade, fadiga, excesso de trabalho ou que tenha dormido pouco. “A mioquimia é uma contração involuntária localizada, rápida e espontânea de um ou mais músculos. É mais frequente na pálpebra mas pode ocorrer em outros pontos da face e até em mãos ou pés”, explica o especialista.

O estresse, segundo Borba, é o maior desencadeador desse desconforto, mas, além das causas citadas acima, o tremor na pálpebra também pode ter ligação com outro hábito comum entre os brasileiros: tomar café em excesso. Outros hábitos, como consumo de bebidas alcoólicas e exercícios físicos pesados também podem despertar a condição.