Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, lançou estátua inspirada na de Wall Street nessa terça (16/11); grupos colaram cartaz contra a fome.

São Paulo – Apenas um dia após sua inauguração, o Touro de Ouro, instalado em frente à Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, foi alvo de protestos na manhã desta quarta (17/11). Grupos colaram cartazes com os dizeres “fome” na estátua do centro da cidade, inspirada em uma similar que fica em Wall Street, em Nova York.

“O que para eles simboliza a força do mercado financeiro, para nós é um símbolo da fome, da miséria e da superexploração do trabalho”, escreveram nas redes sociais os coletivos responsáveis pela chamada “ação simbólica”, Juventude Fogo no Pavio e Movimento Raiz Liberdade.

“Enquanto o lucro e a acumulação de riquezas segue aprofundando a exploração incansável dos nossos trabalhos cada vez mais precarizados. Tudo isso muito beneficiado pela política entreguista e genocida de Bolsonaro“.
A estátua tem 5,10 metros de comprimento, 3 de altura e 2 de largura e foi desenvolvida pelo artista plástico e arquiteto Rafael Brancatelli. A B3 afirma que a estrutura representa “a força e a resiliência do povo brasileiro” e o “desenvolvimento do mercado de capitais do Brasil”.

Invasão da Bolsa

Também em protesto, membros de movimentos sociais ocuparam a Bolsa de Valores de São Paulo em 23/9, liderados pelo Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), em crítica à alta dos preços e ao presidente Bolsonaro.

“Ocupamos a bolsa de valores de São Paulo, maior símbolo da especulação e da desigualdade social. Enquanto as empresas lucram, o povo passa fome e o trabalho é cada vez mais precário. Quem segura o Bolsonaro lá são os donos do Mercado! #TáTudoCaro #ACulpaÉdoBolsonaro”, tuitou o MTST.
Os participantes do ato deixaram o local no mesmo dia.

Fonte: Metrópoles