Ministério da Saúde determinou que uma terceira dose de imunizantes contra a Covid seja oferecida para a população acima de 18 anos.

O Ministério da Saúde anunciou, na terça-feira (16/11), que todos os brasileiros com 18 anos ou mais poderão receber o reforço da vacina contra a Covid-19 ao completar o intervalo mínimo de cinco meses após a aplicação da segunda dose.

Até então, apenas os idosos com mais de 60 anos, imunossuprimidos e profissionais de saúde eram elegíveis para a dose de reforço. Com a atualização, os brasileiros que receberam a segunda dose em julho podem ser vacinados novamente em dezembro, por exemplo.

Veja o que muda na campanha de vacinação:

Por que é recomendado tomar a dose de reforço?

Estudos mostram que as vacinas disponíveis oferecem boa proteção contra os casos graves, hospitalizações e óbitos provocados pela Covid-19. Entretanto, em um intervalo que varia entre seis e oito meses, a imunidade começa a cair. Um reflexo disso foi o aumento de casos entre os idosos que tomaram a vacina ainda no primeiro semestre deste ano.

Quem pode tomar o reforço?

Todas as pessoas com 18 anos ou mais, que já tenham recebido as duas doses dos imunizantes, podem receber a dose de reforço dentro do prazo de cinco meses estabelecido pelo Ministério da Saúde.

Quando a vacina de reforço estará disponível?

A administração das vacinas de reforço para a população está autorizada pelo Ministério da Saúde desde a quarta-feira (17/11), no entanto, cada estado tem autonomia para definir o seu calendário vacinal.

Qual vacina será aplicada como reforço?

A orientação do Ministério da Saúde é que a dose de reforço seja feita, preferencialmente, com a vacina da Pfizer ou, de maneira alternativa, com os imunizantes da AstraZeneca e Janssen, independentemente do esquema vacinal que foi aplicado anteriormente.

Quem tomou a vacina Janssen também deve receber o reforço?

Sim, mas a orientação é um pouco diferente. Apesar de o imunizante da Janssen ser o único desenvolvido para a aplicação em dose única, o Ministério da Saúde determinou que as pessoas que receberam a vacina Janssen deverão tomar uma segunda dose dois meses após a primeira. Cinco meses após essa segunda vacina Janssen, poderão tomar o reforço com a Pfizer.

O que se sabe sobre os resultados do reforço com a vacina da Pfizer?

Dois estudos recentes mostraram que a dose de reforço com a vacina da Pfizer/BioNTech oferece proteção superior a 90% contra a Covid-19.

Em um estudo clínico de fase 3 feito pela farmacêutica, com 10 mil voluntários, observou-se que a terceira dose da vacina tem 95,6% de eficácia na prevenção das formas leves da doença. Na pesquisa, os participantes receberam o reforço com o intervalo de aproximadamente 11 meses da segunda dose.

No segundo estudo, pesquisadores de Israel compararam os níveis de proteção de 1.456.642 pessoas imunizadas com duas ou três doses da vacina Pfizer. Eles concluíram que aplicar o reforço cinco meses após a segunda injeção garante a proteção de 92% contra Covid grave.

A campanha de vacinação com a D1 e D2 será interrompida?

Não. Nessa quarta-feira (17/11) o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, garantiu que a pasta tem doses suficientes para “avançar ainda mais na segunda dose e seguir com a dose de reforço”.

Fonte: Metrópoles