Caso a pasta deixe vencer os imunizantes, o prejuízo calculado seria de R$ 1,32 bilhão aos cofres públicos.

O Tribunal de Contas da União (TCU) pediu ao Ministério da Saúde mais agilidade na distribuição de vacinas contra a Covid-19 para não perder 28 milhões de doses, que vencem em agosto deste ano. As vacinas ainda estão sob controle da pasta, já que o alerta foi feito pela Secretaria de Controle Externo da Saúde, em uma auditoria realizada no fim de maio. De acordo com o levantamento, cerca de 26 milhões dos imunizantes são da AstraZeneca, enquanto o restante foi produzido pela Pfizer. Caso a pasta deixe vencer o prazo de validade das vacinas, o prejuízo calculado seria de R$ 1,32 bilhão aos cofres públicos. O principal motivo para a preocupação do TCU é a estagnação na campanha de vacinação.

 

 

 

 

Fonte: JP Notícias