Ministro Aroldo Cedraz prevê devolver a pauta na próxima semana, mas caso não consiga só será possível em 2022.

O ministro Aroldo Cedraz do Tribunal de Contas da União (TCU) retirou da pauta na última quarta-feira, 8, o processo que analisa a privatização da Eletrobras. Questionado sobre os motivos, Cedraz diz que a decisão veio após receber manifestações do poder Executivo e da sociedade, mas que pretende devolver o processo para a pauta na sessão da próxima semana. No entanto, o TCU irá realizar a última sessão do ano, antes do recesso, já na próxima quarta-feira, 15, e, se a análise não for feita ficará para 2022.

O adiamento é considerado um revez para o governo federal, que conta com a aprovação da privatização ainda neste ano para concluir o processo até maio de 2022. O governo sustenta que, após esse prazo, será difícil concluir a venda devido às oscilações do mercado, resultadas pela proximidade das eleições presidenciais. Nesta primeira etapa, que estava prevista para ontem, o TCU vai avaliar a modelagem econômica-financeira da privatização, como,por exemplo, o bônus de outorga que a Eletrobras privatizada vai precisar pagar ao governo pela renovação dos contratos de usinas hidrelétricas, que deixarão de operar no regime de contas para atuar em regime de livre mercado.

Fonte: JP Notícias