Nos últimos dias, milhares de pessoas se dirigiram ao aeroporto de Cabul na tentativa de embarcar em voos para fugir do país. Segundo o governo britânico, sete pessoas morreram em torno do aeroporto no sábado (21).

Um líder do grupo Talibã responsabilizou neste domingo (22) os Estados Unidos pelo caos no aeroporto de Cabul, no Afeganistão. No local, milhares de pessoas tentam embarcar em voos para fugir do país.

“Estados Unidos, com todo seu poder e seus meios (…), fracassaram em impor ordem no aeroporto”, disse Amir Khan Mutaqi, um dirigente talibã.

“Reina a paz e a ordem em todo o país, mas há caos somente no aeroporto de Cabul”, continuou. “Isso deve acabar o mais rápido possível”.

O Ministério da Defesa do Reino Unido informou que sete pessoas morreram nos arredores do aeroporto no sábado (21). A Reuters afirmou que elas foram esmagadas contra os portões.

Um oficial da Organização do Tratado do Atlântico Nortes (Otan) relatou à agência que ao menos 20 pessoas morreram nos últimos dias dentro ou nos arredores do aeroporto.

A rede britânica Sky News divulgou no sábado imagens de pelo menos três corpos cobertos com um plástico branco fora do aeroporto. Segundo o repórter da emissora, Stuart Ramsay, as pessoas estavam sendo esmagadas e outras “desidratadas e aterrorizadas”.

Uma semana após a tomada de poder do grupo extremista, milhares de afegãos tentam deixar o país. O secretário de Defesa do Reino Unido, Ben Wallace, defendeu que o prazo de permanência dos EUA no Afeganistão seja ampliado para permitir a retirada de todas as pessoas.

O presidente dos EUA, Joe Biden, chegou a um acordo com o primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, para usar duas bases militares em território espanhol como recepção receber cidadãos que estavam no Afeganistão.

Os EUA alertaram no sábado (21) que americanos no Afeganistão devem evitar o aeroporto de Cabul se não tiverem instruções de representantes do governo.

Fonte: G1