O Jornal Nacional da TV Globo exibiu hoje à noite a reportagem que mostra um vídeo gravado no hospital e pronto-socorro João Lúcio, em Manaus. O mesmo vídeo circulou nas redes sociais hoje de manhã, e mostra vários corpos em sacos funerários, dividindo a enfermaria do hospital ao lado de outros pacientes com coronavírus.

Em nota enviada à imprensa, a Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam), confirma que o vídeo é do hospital João Lúcio, onde 14 pessoas morreram entre a noite de ontem e a manhã desta quinta-feira. Segundo a nota, as mortes são de pacientes com suspeita de coronavírus.

A nota explica que o João Lúcio foi escolhido pelo Governo do Estado para receber pacientes com suspeita de Covid-19 até que os hospitais da Nilton Lins e Delphina Aziz entrem em operação, aumentando o número de leitos.

Leia a nota enviada pela Susam

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) esclarece que os 14 óbitos ocorridos no Hospital João Lúcio, entre a noite de ontem e o início da manhã desta quinta-feira (16/04), foram de pacientes suspeitos de Covid-19.

Dos 14 óbitos, cinco já haviam sido liberados até às 17h desta quinta-feira, e nove aguardavam os familiares com as declarações de óbito. A Susam informa, ainda, que o Hospital João Lúcio tem recebido pacientes suspeitos de Covid-19 até que seja ampliado o número de leitos do Hospital Delphina Aziz e o Hospital da Nilton Lins entre em operação.

Com a capacidade ampliada do Delphina e o reforço dos leitos do hospital de retaguarda, o HPS João Lúcio ficará exclusivo para o atendimento de urgência e emergência para suporte da rede.

Desses pacientes, oito tinham idade acima de 60 anos, seis tinham comorbidades severas, todos foram admitidos no hospital em estado grave, sendo cinco nas últimas 24 horas. Todos os pacientes receberam assistência adequada e manejo clínico de acordo com as suas necessidades, medicação e oxigênio.