A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) mantém as unidades de urgência e emergência, hospitais e prontos-socorros, Serviços de Pronto Atendimento (SPAs) e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da rede estadual de saúde como porta de entrada para atendimentos de pacientes com suspeita do novo coronavírus.

Com a diminuição de internações por coronavírus e estabilização dos casos no estado, essas unidades apresentaram redução na taxa de ocupação de leitos de Covid-19 e, com a reorganização nos fluxos de atendimento, estão retomando as atividades realizadas antes da pandemia. Ainda assim, os pacientes que apresentarem sintomas agudos da doença e necessitarem de atendimento médico podem procurar essas unidades.

Após o primeiro atendimento, caso seja constatada a necessidade de permanência do paciente no hospital, as unidades de porta aberta realizam a internação e iniciam o processo de transferência, por meio de Sistema de Transferências de Emergências Reguladas, para as unidades de referência no tratamento da doença: o Hospital Delphina Aziz, o Hospital de Combate ao Covid-19 e a Maternidade Ana Braga, para o caso de pacientes grávidas e puérperas.

Para o secretário executivo de Assistência Especializada da Capital, Thales Schincariol, é importante ressaltar, até como forma de tranquilizar a população, que o atendimento inicial continua sendo nas unidades de urgência e emergência e que aquelas pessoas que apresentarem sintomas respiratórios devem buscar atendimento.

“As unidades de pronto atendimento ainda são portas abertas para fazer a capacitação dos pacientes em suspeita, que serão encaminhados, caso necessitem de internação, aos hospitais de referência”.

Áreas liberadas – No dia 17 de junho, o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto liberou para atendimentos de rotina uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de 40 leitos, que era exclusiva para pacientes com o novo coronavírus. O HPS chegou a ter 100% dos leitos exclusivos para a Covid-19 ocupados.

O HPS João Lúcio também iniciou a liberação de leitos para o tratamento de outras doenças e, de acordo com dados do dia 26 de junho, não tinha pacientes de Covid-19 internados na unidade.

O Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do bairro Coroado, que continua realizando o primeiro atendimento de pacientes com suspeita de Covid-19, também liberou duas enfermarias que foram utilizadas como áreas de isolamento durante a pandemia.

A Susam também encerrou as atividades das tendas de triagem instaladas em hospitais da capital e solicitou a retirada das câmaras frigoríficas que haviam sido instaladas nas unidades durante o pico da pandemia do novo coronavírus.

As câmaras frigoríficas foram instaladas nos HPS João Lúcio, 28 de Agosto e Platão Araújo; nos hospitais de referência Delphina Aziz e de Combate ao Covid-19; e no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), para o acondicionamento de corpos de pacientes que vieram a óbito nessas unidades.

Fonte: Susam