Apesar do cansaço e do estresse influenciarem o surgimento das olheiras, a má alimentação também está relacionada às manchas escuras.

A área escura e, às vezes, funda em volta dos olhos pode incomodar muita gente. Seja homem, seja mulher, as famosas olheiras aparecem em qualquer momento da vida e podem afetar a autoestima. Apesar das diversas origens, alguns fatores, como o cansaço, o estresse e a TPM, influenciam no agravamento dessas manchas. Justamente por isso, as reclamações sobre elas tiveram um grande aumento no período pandêmico, quando houve um aumento nos casos de insônia, ansiedade e estresse.

“O inchaço sob os olhos em momentos de fadiga podem ocorrer por fatores hereditários, retenção de líquidos, alergias, reação a medicamentos ou falta de sono. No entanto, o cansaço e o estresse são as principais causas”, explica o cirurgião geral e pós-graduado em cirurgia plástica Marcelo Nascimento.

Pensando em zelar pela saúde do rosto e por uma melhor aparência dos olhos, o médico indica alguns cuidados a fim de evitar que elas apareçam.

Durma bem e descanse

De forma natural, o especialista sugere que o descanso seja levado a sério para quem deseja suavizar essas manchas. “É muito importante dormir pelo menos 8 horas por dia, sem interrupção e fazer atividades que ajudam a relaxar. Não dando um descanso adequado, as olheiras não vão desaparecer”, ressalta.

Cuidado com a alimentação

A alimentação também pode estar relacionada ao aparecimento dessas bolsas embaixo dos olhos. Um dos métodos que pode surtir em resultados positivos, de acordo com Marcelo, é reduzir o consumo de sal. “Este ingrediente causa retenção de líquidos e, consequentemente, o aparecimento das olheiras”, pontua. O médico ainda aconselha que alimentos diuréticos sejam incluídos na dieta, na intenção de ajudar na digestão e na eliminação de fluidos.

Hidratação

Não é segredo para ninguém que o consumo regular de água faz milagres no corpo humano e pode, também, influenciar em resultados positivos na prevenção desse roxo nos olhos. “Quando se bebe uma boa quantidade de água, o corpo elimina, com maior facilidade, os fluidos e as toxinas que afetam o seu funcionamento”, pontua o especialista.
O rosto e a pele também merecem atenção especial neste quesito. O cirurgião plástico explica que hidratá-las pode evitar o ressecamento, bem como a destruição da fibras de colágeno e elastina da pele fina ao redor dos olhos. E alerta: “O cuidado deve ser redobrado no período seco.”

Em alguns pontos, as olheiras já fazem parte do rosto da pessoa e prevenir já não é mais uma opção. Quando as marcas, o inchaço e as manchas incomodam a tal ponto, é possível recorrer a procedimentos cirúrgicos que deem um fim nelas ou, pelo menos, amenizem a situação.
De acordo com a médica especialista em harmonização facial Raquel Moreira, “cada tipo tem uma origem e um tratamento específico”, e por isso pode-se indicar diferentes tratamentos para suavizá-las, desde que se entenda se é provocada por hábitos e estilos de vida do paciente, ou por origem genética, nas palavras da profissional.

Entre os procedimentos indicado para o tratamento das olheiras, ela indica:

Laser

Trata olheiras pigmentares e vasculares. Nesse caso, a luz do laser clareia a área dos olhos porque remove a camada externa da pele danificada. “O calor gerado durante o procedimento causa uma retração da pele, agindo na flacidez da pálpebra e melhorando aquelas com bolsas”, diz. Cada sessão dura cerca de 20 minutos e são necessárias, no mínimo, três sessões para alcançar resultados satisfatórios.

Cirurgia de blefaroplastia

Essa opção é recomendada quando, além da forte pigmentação debaixo dos olhos, há também gordura e pele em excesso. “Muitas pessoas, geralmente de idade mais avançada, pensam ter olheiras quando, na verdade, têm outro problema: bolsa de gordura localizada na parte inferior das pálpebras. A confusão acontece porque esse efeito visual cria sombras abaixo dos olhos”, reforça.

Peeling com ácidos

Esse procedimento é focado em renovar as camadas superficiais da pele, fazendo surgir uma camada mais clara e firme em seu lugar. “O peeling remove a melanina da pele e os ácidos mais conhecidos são o tricloroacético (ATA), salicílico, glicólico, lático, retinoico e mandélico. Todos esses eliminam o melasma e promovem o rejuvenescimento cutâneo. Por isso, são ótimos para as olheiras”, completa.

Antes de tudo, a especialista recomenda uma consulta com um especialista para identificar a origem do problema na sua pele para, assim, iniciar o procedimento que vai surtir o melhor efeito.

Fonte: Metrópoles