Parlamentares estiveram no Ministério Público de São Paulo e na Câmara de Vereadores da cidade para entregar relatório final da comissão, que deverá ajudar nas investigações locais contra a Prevent Senior.

O vice-presidente da CPI da Covid-19, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), a líder da bancada feminina, Simone Tebet (MDB-MS) e o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), estiveram na capital paulista na última quarta-feira, 10, para entregar o relatório final da comissão do Senado. O documento vai servir para ajudar como base na investigação contra a operadora de saúde Prevent Senior que ocorre na Câmara dos Vereadores de São Paulo. Pela manhã, eles entregaram o documento ao Ministério Público. No MP, os parlamentares informaram que pretendem convocar o Procurador Geral da República, Augusto Aras, para prestar esclarecimentos no Senado Federal caso ele não se posicione sobre o relatório que enviado pela comissão no final de outubro. Aras, por sua vez, disse que recebeu o documento apenas na terça-feira e que, a partir de agora, vai iniciar a análise do material. No relatório final, a CPI da Covid-19 pede o indiciamento de 11 pessoas ligadas à Prevent Senior.

Em coletiva de imprensa, o senador Renan Calheiros criticou conduta da operadora de saúde e afirmou que os estudos realizados por ela tiveram apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “Ela tinha uma pretensão enorme de transformar esse experimento em um patamar de tratamento precoce internacional, com o apoio do presidente da República, depois se submeteu às postagens do presidente, que anunciou resultados diferentes que os resultados que o estudo da Prevent continha e, a Prevent, como consequência, teve que falsificar o seu próprio estudo para se adequar ao presidente da República”, afirmou Calheiros. Segundo o senador Randolfe Rodrigues, a CPI na Câmara paulistana dará prosseguimento em pontos que o Senado não conseguiu alcançar. “Recebemos com entusiasmo na CPI da Covid-19 a informação da instalação da comissão parlamentar de inquérito aqui da Câmara Municipal sobre o caso Prevent. Essa CPI terá condições de aprofundar as investigações que, pela amplitude da CPI da Covid-19 e pelo pouco tempo que nós tínhamos, não foi possível por lá”, disse. A Câmara Municipal de São Paulo instaurou a CPI no início de outubro para apurar as denúncias e a atuação da operadora de saúde na capital paulista. A Prevent Senior é investigada por prescrever o kit covid sem autorização no tratamento de pacientes e por subnotificar de casos e óbitos pela doença. A operadora nega as acusações.

Fonte: JP Notícias