Gestores estaduais também têm preocupação com variante indiana do vírus. Eles pedem ao ministro medidas restritivas nas fronteiras.

Os secretários estaduais de Saúde pediram ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que adote urgentemente medidas restritivas nas fronteiras do país para evitar que novas variantes do coronavírus cheguem ao Brasil.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a principal preocupação no momento é com a cepa indiana, que está se espalhando rapidamente e pode ser mais perigosa.

Uma das medidas solicitadas pelos gestores é a decretação de uma quarentena obrigatória de 14 dias para viajantes oriundos de locais com alta prevalência de variantes ou maior risco epidemiológico.

Secretários ouvidos pelo jornal se preocupam que a chegada de uma variante nova pode deixar o país ainda mais vulnerável para uma terceira onda.

Na segunda-feira (3/5), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) enviou ofício a Queiroga com os pedidos das ações.

Variante indiana

A Índia enfrenta uma segunda onda da Covid-19, com falta de leitos e insumos e recordes de mortes. A nova variante foi identificada também em mais 16 países.

O governo do Reino Unido está atento à circulação de três variantes indianas do coronavírus, todas geneticamente semelhantes. Em Londres, um em cada 10 testes positivos do tipo RT-PCR, realizados entre os dias 10 a 17 de abril, correspondiam a uma delas.

O laboratório britânico Sanger Institute fez o mapeamento genômico do vírus a partir dos testes positivos feitos por swab realizados no Reino Unido.

Pesquisas recentes sugerem que as vacinas da AstraZeneca e a da Pfizer funcionam contra as variantes indianas.

Fonte: Metrópoles