Responsável pelas iniciativas de fomento e incentivo cultural, André Porciuncula afirmou que é preciso acabar com os ‘valores astronômicos’ pagos com recursos da proposta.

Uma das mudanças da Lei Rouanet é a implementação de teto para aluguéis de teatro. O secretário de fomento e incentivo cultural da Secretaria Especial de Cultura, André Porciuncula, postou nas redes sociais ser necessário por fim aos valores astronômicos das salas que chegavam a milhões de reais, consumindo boa parte dos recursos da lei. Agora, o valor máximo será de R$ 10 mil. Além disso, caiu pela metade o teto de captação da Lei Rouanet e também foi definido um novo teto para cachês artísticos pagos com recursos da lei, de R$ 3 mil, o que significa uma redução de 93%. Na visão do governo federal, o valor de R$ 3 mil é excelente para artistas em início de carreira. Além disso, todos os salários serão tabelados e, segundo Porciuncula, não haverá exceções para celebridades. A ideia é ampliar o acesso aos pequenos e permitir maior descentralização dos recursos.

Fonte: JP Notícias