A lista de objetos que não podem ser carregados na mala de mão durante um voo é extensa; saiba o que evitar e os itens mais comuns.

Se você nunca teve algum item da sua bagagem de mão retido (e descartado) na inspeção de segurança do aeroporto, certamente conhece alguém que já passou por esse drama. São tantas regras e restrições que fica difícil não se confundir de vez em quando e acabar incluindo algo proibido na mala. Seja por distração ou falta de familiaridade, nem mesmo viajantes experientes estão imunes a essa falha… Eu mesmo já perdi algumas garrafas de água lacradas, desodorante spray (novinho!) e dei meia volta para despachar dois potes de doce de leite que iriam para o lixo.

Para evitar que você perca algo importante em sua próxima viagem de avião conversamos com a Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC e com a administração de três dos aeroportos mais importantes do Brasil – Brasília (BSB), Guarulhos (GRU) e Galeão (GIG) e Porto Alegre (POA) para saber quais são os itens proibidos encontrados com maior frequência na bagagem de mão dos passageiros. Fique atento e tome cuidado para não levar nenhuma dessas coisas cabine.

1 – Ferramentas e utensílios

As ferramentas são as campeãs de descarte e representam mais de um terço do total de objetos retidos nos aeroportos brasileiros. Cerca de 30% dos itens apreendidos no embarque doméstico e 35% no embarque internacional são algum tipo de ferramenta. Isso acontece porque nem sempre a restrição é óbvia para os passageiros. Afinal de contas são apenas ferramentas inofensivas de trabalho, certo? Errado! Chave de fenda, martelo, alicate, chave inglesa ou até mesmo brocas de furadeira podem ser usadas como armas e, por isso, não podem ser transportados na cabine do avião por questão de segurança.

2 – Líquidos e spray

Em segundo lugar, pouco atrás das ferramentas, estão os líquidos e sprays. No embarque doméstico eles representam 23% do total de apreensões e 28% no internacional. O limite para transporte de líquidos em voos nacionais e para o exterior é diferente, o que confunde muita gente. Além do spray, cremes, pastas e géis também entram no limite para líquidos.
Nos voos nacionais é permitido levar até dois litros de líquidos na bagagem de mão, mas cada embalagem deve ter no máximo 500 ml. Já nos voos internacionais o limite total é de um litro e as embalagens não podem ultrapassar 100 ml.

Aerossóis e sprays de higiene pessoal, como desodorante, espuma de barbear e protetor solar, também podem ser levados na bagagem de mão. Em voos nacionais o limite é de quatro frascos de até 300 ml e nos internacionais de até 100 ml. Foi assim que perdi um desodorante cheinho de 150 ml que deixava na mochila em viagens pelo Brasil, até que um belo dia fui embarcar em voo internacional e esqueci completamente que ele estava lá. Essas mesmas regras se aplicam para o álcool em gel ou em líquido para higienização, que podem ser levados na bagagem respeitando esses limites.

Bebidas alcoólicas

Garrafas de vinho, cerveja, destilados e outras bebidas alcoólicas podem ser transportadas na cabine do avião respeitando o limite de 5 litros por passageiro em voos domésticos. Elas devem ter estar lacradas pelo fabricante e ter até 70% de graduação alcoólica. Lembrando que a bagagem de mão deve respeitar o peso máximo de 10 kg.
Nos voos internacionais, a restrição é a mesma dos líquidos, até 100 ml por frasco. A exceção é para bebidas compradas no duty free, após as verificações de segurança. Ou seja: deixe para fazer suas compras no último aeroporto na volta para o Brasil, mantenha as sacolas lacradas e guarde as notas fiscais.
Já na bagagem despachada é possível transportar mais, desde que estejam devidamente acomodadas e respeitem os limites estabelecidos pelas companhias aéreas (lembre-se que as companhias aéreas não são conhecidas por serem cuidadosas no transporte das bagagens de porão).

3 – Jogos de facas e talheres

O descarte de facas, canivetes, punhais, facas de caça ou táticas, tesouras, estiletes, bisturi e outros itens cortantes ou perfurantes também é corriqueira nos aeroportos. Eles representam 22% dos itens apreendidos no embarque doméstico e 17% no internacional.

4 – Alguns artigos de esporte e lazer

A lista aqui é bem variada e inclui desde armas de paintball e airsoft, até halteres e anilhas de musculação. Os artigos de esporte e lazer barrados somam 11% dos descartes no embarque domésticos e 9% no internacional.
Além dos itens já mencionados, entre os mais comuns estão: bastão de caminhada, tacos de beisebol, pólo, golfe, hockey, sinuca e bilhar; remos, armas de brinquedo ou réplicas, equipamentos de artes marciais pontiagudos ou cortantes, combustível para acampamento e até carvão para narguilé.

5 – Produtos inflamáveis

Os artigos inflamáveis também representam uma parcela relevante dos itens confiscados: 10% no embarque doméstico e 9% no internacional. Isso inclui combustível ou refil para isqueiro, fogos de artifício (mesmo os “inofensivos” estalinhos), maçarico culinário ou isqueiro do tipo maçarico, líquidos ou gases, tintas ou solventes inflamáveis.
Porém existem algumas excessões: fósforos de segurança pequenos podem ser levados na bagagem de mão (até 40 palitos) desde que não sejam do tipo “strike anywhere” que acende facilmente em contato com qualquer superfície áspera. Isqueiro comum com gás ou fluido também é permitido, mas apenas um por pessoa, com no máximo 8 cm, e ele deve ser transportado junto ao corpo (no bolso). Esses itens não podem ser sequer despachados.

6 – Objetos inusitados

Aqui entram os itens menos comuns, mas que também costumam dar as caras no controle de segurança dos aeroportos de tempos em tempos e representam 4% dos descartes no embarque doméstico e 2% no internacional. Entre eles estão pedras, estilingues, guarda-chuvas com ponta, sprays de defesa pessoal e outras coisas bizarras que não se enquadram nas categorias anteriores.

 

Fonte: Melhores Destinos