Equipamento oferece maior proteção que as máscaras de tecido e pode ser reutilizado seguindo alguns cuidados.

Por conta da alta no número de casos, internações e mortes por Covid-19 no Brasil e da alta transmissibilidade das variantes do Sars-CoV-2 em circulação, entidades e especialistas em saúde estão recomendando a substituição das máscaras de pano pelo modelo N95, também conhecido como PFF2. Nas redes sociais, perfis como o Qual Máscara? (@qualmascara) e PFF2 Para Todos (@pffparatodos) explicam detalhes sobre o item de proteção.

Desde janeiro, diante do cenário de circulação de novas variantes do coronavírus, países europeus, como a Alemanha, passaram a exigir o uso de máscaras profissionais pela população em locais públicos e com grande circulação de pessoas. Segundo especialistas, a N95/PFF2 é a mais eficaz para evitar a infecção por aerossóis.

Fora da situação da pandemia, esse modelo de máscara é descartável. No entanto, segundo Vitor Mori, físico e membro do Observatório Covid-19 BR, elas podem ser reutilizadas enquanto estiverem sem danos. De acordo com o especialista, o uso por até 15 vezes seria seguro, apesar de o CDC, dos EUA, recomendar apenas 5 utilizações. “Se a manta filtrante estiver em bom estado, a máscara sem nenhum rasgo e com o elástico em boas condições, ela pode ser usada”, explicou o especialista, em entrevista ao Estadão.

Para que continue protegendo, depois de usada, a máscara deve ser deixada em um local arejado por, no mínimo, três dias. O tempo é necessário para que um eventual vírus bloqueado pelo item de proteção se torne inviável. O perfil @qualmascara sugere que o usuário separe cinco delas e as enumere para que sejam cumpridos ciclos de descanso durante o uso de segunda a sexta.

A máscara N95/PFF2 não pode ser lavada nem higienizada com álcool. Caso o usuário tenha estado com uma pessoa contaminada, ela precisa ser descartada imediatamente.

Durante o uso da máscara, é importante garantir a vedação. Uma dica é inspirar e expirar com as mãos sobre as frestas para ver se o ar está escapando. Para quem usa barba, a indicação é remover os pelos faciais, caso contrário, a proteção pode ser comprometida.

A máscara PFF2 deve ser usada por pessoas que têm de trabalhar em locais fechados ou que enfrentam transporte público lotado, onde há maior risco de transmissão. Para exercícios ao ar livre e com distanciamento social ou para passear com o cachorro, as máscaras de tecido são suficientes.

Cartilhas educativas

Para ajudar a população a entender a importância das máscaras N95/PFF2 neste momento crítico da pandemia, diversas entidades e instituições têm criado documentos com orientações sobre o acessório.

Alunos do curso de fisioterapia da Universidade de Brasília (UnB) compilaram informações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e do Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos para elaborar um material informativo que ajuda a otimizar o uso das máscaras. O documento é destinado a profissionais de saúde, mas está aberto a consulta pública neste link.

O Instituto Brasileiro para Segurança do Paciente (IBSP) também divulgou recomendações para o uso prolongado e reutilização de máscaras N95. O órgão sugere uma combinação de abordagens a fim de conservar esses suprimentos para evitar a escassez de máscaras no mercado.

Fonte: Metrópoles