Especialista explica os novos critérios adotados na hora da doação.

Por conta da pandemia do novo coronavírus, os bancos de sangue do Amazonas tiveram uma redução de 60% nas doações, atingindo níveis críticos no estoque. A diminuição do número de doadores é preocupante, alerta o professor do curso de Biomedicina da UniNorte, Alexander Silva. Isso porque muitos pacientes dependem da transfusão para tratar doenças como leucemia e anemia.

“Em condições normais, há muita demanda por bolsas de sangue, principalmente para pacientes com doenças hematológicas. Com a pandemia, a doação fica mais desafiadora por causa do risco de transmissão do vírus, mas continua sendo importante para tratar quem precisa”, explica Alexander.

Para garantir a segurança de todos, novos critérios foram adotados para os candidatos a doação. Além de ter entre 18 e 69 anos, pesar acima de 50 quilos e estar em boas condições de saúde, o doador deve seguir as orientações de uso de máscara, álcool em gel e distanciamento social no momento da coleta.

“Quem teve Covid-19 deve esperar 30 dias após o desaparecimento dos sintomas para doar. Já quem tem contato com paciente com o novo coronavírus, a recomendação é aguardar até que essa pessoa se cure clinicamente para poder fazer a coleta”, informa o professor.

*Plasma*

Quem teve Covid-19 e se recuperou também pode ajudar outros pacientes por meio da doação de plasma sanguíneo. “Existem determinados componentes, como proteínas e anticorpos, que ajudaram a pessoa a combater o vírus lá atrás e ainda estão circulando no corpo da pessoa curada. Eles podem contribuir na cura de pacientes graves de Covid”, destaca.

Os candidatos à doação de plasma com Covid-19 devem ser do sexo masculino, com idade entre 18 e 60 anos, sem sintomas da doença há pelo menos 30 dias e não ter tido hepatites B ou C, sífilis, HIV, HTLV ou doença de Chagas. Também devem apresentar teste PCR comprovando que tiveram coronavírus.

*Campanha*

Para ajudar nesse momento crítico, a UniNorte juntou forças com a Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) e lançou a campanha “Ser Solidário Tá no Sangue”, que incentiva alunos e colaboradores da instituição a doarem de sangue e medula óssea. Além disso, também promove uma série de lives no Instagram (@uninortemaus) com temas relacionados à doação.

Quem deseja doar sangue, medula óssea ou plasma, deve agendar um horário no Hemoam por meio dos telefones (92) 3655-0166, 3655-0270 e 3655-0271.

Confira a programação:

14 de junho – Doação de sangue em época de Covid-19, com Alexander Leonardo (UniNorte) e Janaína Carmo de Souza (Hemoam) – 18h30
22 de junho – Doação de sangue e quarentena: um ciclo que não pode parar, com Luciane Evangelista (Hemoam) e Graciely Chávez (UniNorte) – 19h