Ex-secretário do Procon aponta que a iniciativa pode impedir o reajuste previsto para novembro, onde o consumidor amazonense pagará a conta de energia mais cara do país.

O ex-secretário do Procon Manaus, Rodrigo Guedes, publicou em suas redes sociais sua indignação com a empresa de abastecimento de energia elétrica Amazonas Energia, após uma publicação do jornal A Crítica que denuncia que o reajuste da da energia elétrica concedido em 2018 foi irregular, trazendo um prejuízo de 280 milhões de reais aos consumidores amazonenses.

Rodrigo Guedes (Foto: reprodução)

“Somados isso à nova tentativa de reajuste de energia elétrica em 8,5% a ser concedido a partir do  1º de novembro, que informações no processo de discussão do assunto na Aneel estão classificadas como sigilosas, e as outras milhares de denúncias, principalmente cobranças irregulares, não tenho outra alternativa se não pedir aos órgãos legislativos a instauração da CPI da Amazonas Energia”. Disse Rodrigo.

O ex-secretário explica que durante dois anos esteve no Procon combatendo irregularidades e viu que era impossível um órgão com apenas quatro advogados atender tanta denúncia relacionada a empresa. O pedido a público de Rodrigo Guedes, é feito a todos os representantes do municipal ao estadual e sugere que se acatada, a CPI ouça a população e investigue a Amazonas Energia com  o máximo de precisão. O que seria uma forma de evitar o próximo reajuste de 8,5% proposto pela Aneel, que poderá entrar em vigor a partir de novembro deste ano, tornando a tarifa da Amazonas Energia, atualmente a terceira mais cara do País, a lider do ranking.