Exame de uma das vítimas, que disse ter sido estuprada, aponta uma laceração de primeiro grau sem sangramento ativo, contrariando a informação de corte profundo com três dias de sangramento.

O ex-participante do Big Brother Brasil, Felipe Prior, teve seu mundo revirado de cabeça para baixo após sérias acusações de estupros serem divulgadas sem comprovação. Após a repercussão, alguns jornalistas tiveram acesso ao laudo do exame que mostra a suposta vítima sofreu uma laceração de primeiro grau, e a revista Marie Clarie informou que a denúncia descreve um corte tão profundo ao ponto de alcançar o músculo, corte esse que teria sangrado por três dias, obrigando a “vítima” a usar fralda geriátrica. A informação vai contra o laudo que descreve que não havia sangramento ativo.

Laudo do exame feito pela suposta vítima

Em entrevista ao jornalista Erlan Barros, do canal “Em Off”, o ginecologista Jailson Costa aponta uma inconsistência especificamente em uma das acusações de estupro feita ao ex-BBB. Em prontuário, há informação de que a reclamante teria sofrido laceração de primeiro grau. Na avaliação do ginecologista, esse tipo de lesão pode acontecer em relações consensuais.

Outro contraponto que bota em questionamento as acusações, se deve ao fato de uma conversa entre Prior e a suposta vítima vir a tona após as acusações. Na conversa ele se mostra preocupado para saber o que aconteceu e se ela precisa de alguma coisa, a moça por sua vez o chama carinhosamente de “Fe”, informa que precisou ir ao hospital, que não precisa de nada e pede por favor que fique só entre eles.

Conversa entre Felipe Prior e a suposta vítima de estupro

Um inquérito foi aberto na Delegacia da Defesa da Mulher de São Paulo. Segundo a delegada responsável, o caso está em andamento e as partes serão ouvidas. Tudo corre sob sigilo de Justiça, em razão da natureza dos fatos.

Fonte: Isto É; Em Off; Marie Clarie

Léo Dias tenta chamar atenção falando negativamente da live de Bruno e Marrone e se dá mal