Paulo Teixeira, do PT, diz que aguardará o desfecho da ação em que o Ministério Público pediu a divulgação do salário de Moro em consultoria.

As articulações para criar uma CPI contra Sergio Moro foram suspensas após o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) enviar uma cobrança para que a Alvarez & Marsal divulgue quanto pagou de salário ao ex-juiz.

O deputado Paulo Teixeira, do PT de São Paulo, disse que o objetivo principal da CPI seria revelar quanto o ex-juiz recebeu da consultoria. Se a Alvarez & Marsal encaminhar os dados ao TCU, as informações serão públicas porque o relator do caso, ministro Bruno Dantas, retirou o sigilo do processo.

“Um dado como esse tem que ser transparente, mas como o próprio TCU está dando uma resposta, eu acho que é o momento de aguardar”, afirmou Teixeira.

O TCU apura se Moro cometeu irregularidades no período de um ano em que trabalhou para a Alvarez & Marsal, em 2020 e 2021. A consultoria recebeu 78% de seus honorários de empresas que foram alvo da Lava Jato, operação que Moro comandava quando era juiz.
Dos R$ 83,5 milhões auferidos pela Alvarez em processos de recuperação judicial e falência, R$ 65,1 milhões vieram de firmas investigadas na operação. Moro alega que atuou na área de disputas e investigações da Alvarez, um braço distinto da consultoria, com outro CNPJ e sem relação com o de recuperação judicial.

Fonte: Metrópoles