Os 41 vereadores de Manaus podem ter os salários cortados em 50% a partir do mês de maio. Cada parlamentar ganha R$ 15 mil por mês e passaria a receber R$ 7,5 mil. A medida também reduz os salários de servidores comissionados com salários acima de R$ 6,1 mil, cujo corte seria de 20%.

A proposta é do vereador Chico Preto, que apresentou o projeto nesta semana na Câmara Municipal de Manaus. A ideia é cortar gastos durante o período de calamidade pública na cidade, por causa da pandemia do coronavírus.

O texto prevê ainda que a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap), cujo valor para cada gabinete é de R$ 16 mil, seja reduzida entre 50% a 95%.

A ideia é remanejar o valor economizado, que seria usado em ações de combate ao coronavírus e na valorização dos profissionais de Saúde que atendem pacientes com o Covid-19.

Embora seja uma ótima ideia para momentos de crise, a proposta do vereador Chico Preto não foi bem aceita pelos demais parlamentares. Nos grupos de whatsapp dos vereadores, a medida foi achincalhada e virou motivo de deboche.

Nossa reportagem conversou com dois vereadores, que pediram para não ter os nomes divulgados. Eles disseram que o projeto dificilmente será aprovado no Legislativo Municipal. “Trata-se de um projeto para autopromoção do vereador Chico Preto, que é pré-candidato à prefeitura de Manaus. Ele só quer aparecer”, disse o vereador que pediu anonimato.