Desde o início do confinamento, aplicativos de academia e treinamentos a distância registraram crescimento de até 300% em números de downloads.

A pandemia da Covid-19 impulsionou a procura por atividades físicas feitas dentro de casa. A jornalista Bruna Estivalet mora em Cresskill, nos Estados Unidos, sempre gostou de correr, fazer exercícios físicos ao ar livre e ir na academia. No entanto, com a quarentena e novas restrições sanitárias, ela precisou mudar a rotina. Bruna conta que começou a fazer aulas com um personal online, dentro de casa, e o resultado foi tão positivo que inclui até os filhos na rotina de atividades. “Aqui na minha cidade as academias já abriram. Mas mesmo com as academias abertas optei por continuar com as aulas com a personal. Minha vida mudou, eu tenho mais tempo que ficar com meus filhos, eles conseguem treinar comigo, então eu recomendo”, diz a brasileira, relatando que mesmo com a liberação para correr de máscara nas ruas, ela também preferiu continuar com as atividades em casa.

A personal trainer de Bruna Estivalet, Gisele Zink, que mora em São Paulo, explica que não tinha quase nenhuma procura pelo atendimento online antes da pandemia. Agora, o mercado aqueceu de vez. “Para o meu trabalho cresceu uns 80%. É uma possibilidade, porque você está na sua casa, então você trabalha sentado o dia inteiro na frente do computador, o que causa muitas tensões, má postura e você acaba trabalhando mais. Isso acaba gerando um estresse maior, uma ansiedade maior e tem que ter essa válvula de escape. Poder treinar dentro de casa é uma opção fantástica”, afirma a profissional. Desde o início do confinamento, aplicativos de academia e treinamentos a distância tiveram um crescimento de até 300% em números de downloads.

Fonte: JP Noticias