A Prefeitura de Manaus concluiu neste final de semana os trabalhos de recuperação asfáltica na avenida Professor Nilton Lins, no bairro Flores, zona Centro-Sul. Essa é a terceira grande avenida da cidade que recebe esse tipo de intervenção na gestão do prefeito David Almeida e do vice-prefeito e secretário municipal de Infraestrutura, Marcos Rotta, por meio do “Pacote de Obras de Verão”. Nesta segunda-feira, 2/8, as equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) seguem recolocando os 120 divisores de pista.

Aproximadamente três quilômetros da via foram completamente recuperados nos dois sentidos, no trecho entre o aeroclube e a entrada do conjunto Beija Flor. A obra foi iniciada no último dia 24/7, com o serviço de fresagem da avenida, que é a retirada do asfalto antigo para a aplicação do novo. Os serviços foram realizados sempre das 21h às 5h, para evitar transtornos ao trânsito no local.

“Seguindo a determinação do prefeito David Almeida, aqui na avenida Nilton Lins, realizamos um serviço com a mesma qualidade empregada nas avenidas das Torres e Torquato Tapajós”, disse o vice-prefeito Marcos Rotta, acrescentando que máquinas modernas e diversos equipamentos atuaram na recuperação e aplicação de cerca de 3,5 mil toneladas de asfalto de qualidade, com no mínimo cinco centímetros de espessura.

O serviço faz parte do pacote de “Obras de Verão”, que integra o programa de Crescimento Econômico e Social de Manaus, o “Mais Manaus”, lançado na segunda quinzena de junho pelo prefeito David Almeida e pelo vice-prefeito Marcos Rotta, que vai promover ações de revitalização asfáltica em pelo menos 10 mil ruas e prevê a recuperação de meio-fio, calçadas e sarjetas.

O pacote de “Obras de Verão” também está recuperando 15 quilômetros da avenida Governador José Lindoso, mais conhecida como avenida das Torres, que interliga as zonas Norte e Centro-Sul. Já foi finalizado o trabalho de recapeamento da via, no trecho bairro-Centro, abrangendo a extensão do bairro Cidade Nova até a avenida Cosme Ferreira, no Coroado. No trecho oposto, as obras seguem em ritmo acelerado.

Texto – Valesca Martins / Seminf
Fotos – Márcio Melo / Seminf