Como prometido pelo prefeito de Manaus, David Almeida, a rotatória Umberto Calderaro, conhecida como “bola das Letras”, foi, em menos de 24 horas, restaurada. Na noite desta segunda-feira, 7/6, o prefeito em exercício, presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador David Reis, fez a entrega do espaço à população.

Os trabalhos de restauração foram realizados pelas equipes da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) e duraram menos de um dia, após o espaço público ser alvo de depredação por membros de uma facção criminosa no último final de semana.

David Reis ressaltou a importância da rápida resposta que a prefeitura deu após o ocorrido, mostrando que o Executivo municipal está atento para atender, de forma rápida, à população da capital amazonense.

“Depois desses fatos lamentáveis na cidade de Manaus, é de nos alegrar novamente ver a energia, o imediatismo e a forma enérgica com que a Prefeitura de Manaus agiu para reintegrar essa praça ao convívio dos munícipes Manaus.  Nós devemos todos abominar o que aconteceu no último final de semana. Não podemos mais  permitir que algo como esse continue acontecendo. Nós temos que reagir”, enfatizou Reis

No local, foi refeita toda a parte elétrica do monumento central, além de pintura da estrutura metálica da base das letras. A fonte da iluminação a LED também foi totalmente recuperada, além da pintura do piso e da recuperação do paisagismo.

O titular da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), Sabá Reis, também destacou a rapidez da resposta dada à sociedade. “Essa praça passa a simbolizar a resistência da nossa cidade e o comprometimento do prefeito David Almeida e do vice Marcos Rotta em darmos retorno à população de Manaus”, disse.

Inaugurada no dia 2 de junho, parte da rotatória, localizada na avenida Theomário Pinto da Costa, zona Centro-Oeste,

foi danificada após um ato de vandalismo na noite de domingo, 6/6. De imediato, as equipes da Prefeitura de Manaus iniciaram os trabalhos de restauração.

Texto – Isabella Siqueira/Semulsp
Fotos – Elivaldo Leão/Semulsp